Um homem, uma moto e 15 mil Km de sonhos

15 mil quilômetros, uma moto e um sonho. Assim começa a história do jovem que nunca deixou de acreditar em seu objetivo: conhecer países da América Latina, com um ponto de chegada principal, Ushuaia.

O sonho surgiu quando João Roberto Polvani tinha apenas 22 anos. Ele carregava em si o desejo de conhecer a cidade que é considerada a última e mais ao Sul do mundo. Mapas e rotas traçadas ganharam formas detalhadas para que quando o grande dia chegasse pudesse ser vivido de maneira única e emocionante.

Para continuar lendo está reportagem indico a você colocar um bom rock e viajar pelas aventuras de um motociclista sonhador que viveu grandes histórias ao longo dos 32 dias de viagem pela América Latina.

Em 1983, quando a moto modelo XL foi lançada, despertou em João Roberto a paixão e o sonho de fazer uma grande viagem com aquele modelo de motocicleta. Na época o jovem vivia na cidade de Santo André, em São Paulo. “Eu tinha a vontade de conhecer a América Latina, a vida toda sempre gostei de música latina, tango e bolero desde criança, o idioma e também sempre gostei de ler coisas sobre eles. Eu tinha um sonho de conhecer um lugar fora daqui e eu queria ir de moto, então quando saiu esta moto eu gostei e falei: um dia vou comprar uma moto desta e vou fazer uma viagem”, conta.
Após a paixão pela moto, João Roberto começou a guardar mapas e fez um consórcio para realizar o sonho de ter a motocicleta tão desejada, em 1984, na época o jovem fez o consórcio por um modelo diferente de moto a DT 180. “Comecei a fazer meus planos, mas antigamente era um pouco complicado adquirir uma moto zero quilômetro, mas comecei a me planejar e comprei o consórcio da DT 180, eu pensei até a retirada da moto me reestruturo melhor e quando fosse o momento para pegar a moto eu escolheria uma XL”, explica.

Em 1987 João Roberto ainda não havia sido comtemplado no consórcio, mas o trajeto do sonho havia mudado de direção, o jovem casou-se e a viagem ficou para o futuro que ele ainda acreditava que fosse realizar. A família começou a aumentar, nasceram os dois filhos, a partir daí o sonho ficou distante, o consórcio foi vendido e novos caminhos foram traçados. “Mesmo com as mudanças nunca tirei da cabeça essa ideia de fazer a viagem com a moto”, conta.

Em 2011, após duas décadas, os filhos já adultos, João Roberto, começou a traçar novamente a rota para a grande viagem. Comprou outro consórcio e, com apoio da tecnologia, traçou os caminhos que faria até o destino escolhido. “Comprei a moto no final de 2010 e em 2011 comecei a equipar a moto para poder viajar. Mas minha família achava perigoso eu ir sozinho, então a orientação que eles deram foi para eu procurar alguém que também fosse fazer a viagem”, explica.

Em pesquisa pela internet, João Roberto encontrou um motociclista que pretendia fazer o caminho sobre duas rodas até a Argentina. Ele saiu do Rio Grande do Norte e tornou-se o companheiro de viagem de João.

Os motociclistas saíram de São José do Rio Preto no dia 7 de janeiro de 2012, passaram pelo Sul do país e fizeram algumas paradas para conhecer os lugares. João voltou a Rio Preto no dia 8 de fevereiro do mesmo ano, foram 32 dias de viagem. A primeira parada para o descanso foi em Santana do Livramento no Rio Grande do Sul, em seguida a próxima parada foi em solo uruguaio. “Tacuarembó foi a primeira cidade que eu dormi no Uruguai, terra de Carlos Cardel. Como gosto muito de tango queria conhecer esse lugar. Depois segui para Paysandú e entrei em Rosário na Argentina, a partir daí cruzei o país de leste a oeste”, explica.

O companheiro de viagem desistiu antes de chegar ao destino final e João Roberto continuo na aventura sozinho. A famosa rodovia pan-americana Ruta 5-CH foi seguida pelo motociclista, neste local João conheceu amigos que marcaram a viagem pela gentileza e recepção. “Fiquei na cidade de Cabrero e fiz amizade com o Marco e a Miguelina, eles me acolheram na casa deles e tenho amizade com eles até hoje”, conta.
Deserto da Patagônia, montanhas, vulcões as paisagens eram paradisíacas e embelezavam o caminho até o destino final. Após 15 dias na estrada o grande sonho foi realizado João Roberto em solo argentino e na cidade de Ushuaia.

Em meio à natureza paradisíaca, o único momento de aflição vivido pelo aventureiro foi em um posto de combustíveis que não havia gasolina e que só chegaria a partir de dois dias na cidade de Esperança na Argentina. “Não tinha um bar, não tinha nada. Pedi ajuda aos policiais e eles me indicaram um lugar que ficava 80 quilômetros da onde eu estava, foi neste lugar indicado onde conseguia abastecer”, conta.

O sonho alcançado sobre duas rodas mudou a vida de João Roberto e os planos para novas viagens já traçadas para um futuro não tão distante. “Uma viagem dessa é um divisor de água, você nota as coisas antes e depois da viagem, principalmente no meu caso que foi um sonho que eu passei muitos anos esperando. Então é muito emocionante, hoje quando vejo as fotos, me emociono e sinto saudades. A próximo viagem será para Colômbia, Peru e cidades ao norte do Chile”, finaliza.

 

Por Mariane Dias

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS