Tribunal do Júri condena e que matou manicure de Mirassol

A manicure Luana Mendes foi estrangulada pelo réu, após pegar uma carona em dia de chuva

Foi condenado a 22 anos e cinco meses de prisão, o homem que matou a ex-namorada, de 19 anos, em Mirassol. O júri popular aconteceu no Fórum do município. Anderson Padilha Zanelato foi preso em dezembro do ano passado e confessou à polícia ter cometido o crime por não aceitar o fim da relação.

Entre as testemunhas, foram ouvidas a mãe da vítima e policiais que participaram da ocorrência na época, além de Anderson. Ele disse em depoimento que agiu por impulso e que não pretendia matar a jovem.

O rapaz foi condenado por feminicídio por motivo torpe, meio cruel e meio que dificultou a defesa da vítima. A defesa de Anderson vai recorrer da sentença.

A manicure Luana Letícia Sales Mendes tinha desaparecido no dia 19 de dezembro, depois de sair de casa para trabalhar. Ela solicitou uma corrida em um aplicativo de corrida por causa do tempo de chuva, porém cancelou a corrida e pegou carona com o ex-namorado.

Na época, uma câmera de segurança registrou o carro de Anderson chegando na casa da mãe da vítima.

O acusado disse à polícia que estrangulou Luana e depois bateu um bloco de concreto na cabeça dela. A família da vítima chegou a perguntar para Anderson se sabia do paradeiro dela, mas ele negou. O rapaz também foi até a casa da família para perguntar da jovem.

O corpo de Luana foi enterrado no Cemitério Municipal de Mirassol. Já Anderson permaneceu preso desde o crime no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Rio Preto.

Por Vinícius LOPES

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS