Três homicídios foram esclarecidos pela DIG, na manhã de hoje.

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) esclareceu três casos de homicídio interligados ocorridos na cidade no mês de março deste ano. Três pessoas foram mortas e cinco suspeitos estão presos. De acordo com os delegados Alceu Lima de Oliveira Júnior e Wander Luciano Solgon, foi criada uma força tarefa para investigar esses crimes.

O primeiro a homicídio a ser esclarecido foi de Marcos Vinicius, de 18 anos. De acordo com o Delegado Alceu Lima de Oliveira, Marcus estaria saindo com Rafaela Fernanda Bugati, que teria relacionamento com um homem detido do CDP. Um menor, que é amigo do detento e já teria uma rixa com a vítima, atirando contra ele em outra ocasião, o encontrou em uma festa e acompanhado de um maior de idade, efetuaram cinco disparos, ocasionando na morte da vitima. Após investigações, o menor foi detido pela força tática.

Alguns dias depois, o pintor Thiago Gabriel dos Santos, de 19 anos, foi morto a tiros no bairro João Paulo II por dois menores em uma moto com apoio de mais dois adolescentes e um maior que estavam em um veículo. De acordo com o Delegado Alceu, a vítima foi morta por engano. Das quatros pessoas envolvidas, três foram presas.

Rafaela Fernanda Bugati, de 17 anos, que era uma das envolvidas, foi morta a tiros três dias depois, na avenida Danilo Galiazi. Para o delegado Wander Luciano Solgon, a menor teria tentando se vingar pela morte do namorado “Com a morte do Marcos Vinicius, ela se revoltou e teria tentando matar as pessoas envolvidas, esse fato ocorreu na véspera da morte dela” afirma o delegado.

“Segundo informações que nos temos, o adolescente estava em uma padaria, quando Rafaela e mais um individuo, passaram atirando de carro, mas só acertou uma pessoa que não tinha nada a ver com a história. No dia seguinte, ela foi morta por vingança” completa o Dr. Wander

O outro namorado de Rafaela, detido no Centro de Detenção Provisória foi investigado, mas não há nenhuma prova que ele tenha algum envolvimento com o crime.

Até o momento, cinco pessoas estão presas, três menores entre 16 e 17 anos e dois maiores de idade. Todos os envolvidos têm passagem pela policia e ligação com os três homicídios.  O Doutor Alceu ainda ressaltou “Após a criação da força tarefa, não houve mais nenhum homicídio dessa guerra” (Colaborou: Leo BIGOTTO CARON)

Da Reportagem

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS