Torneiro rio-pretense fica com o ouro no mundial de habilidades

No maior campeonato de profissões do mundo, um rio-pretense está no topo. Mateus Henrique Dias Morel, 18 anos, mecânico de usinagem, formado na Escola Senai Antonio Devisate, de Rio Preto, conquistou a inédita medalha de ouro, na categoria Tornearia CNC (Comando Numérico Computadorizado), na última quinta-feira, no WordlSkills 2017, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, desbancando um chinês e um sul-coreano.
Para chegar ao título, o rio-pretense, que também terminou como melhor brasileiro no campeonato, entre 56 competidores, antes teve que vencer as etapas estadual e nacional das Olimpíadas do Conhecimento.
Diretor do Senai de Rio Preto, o professor Ilieste Malta enalteceu o desempenho do jovem rio-pretense. “O Mateus começou no curso de aprendizagem e se formou como mecânico de usinagem. Para ir ao campeonato, antes até, para participar das Olimpíadas do Conhecimento, ele passou por treinos intensos com o docente Diego de Matos e chegou preparado para essa conquista”, afirmou o professor, que não se mostrou surpreso com a medalha conquistada.
“Ele foi preparado para competir com diversos outros países, tradicionais na competição, como Coreia, China e o Brasil nunca tinha ganhado uma medalha de ouro nessa categoria de Torno CNC. Então, para nós, não é nenhuma surpresa, porque não foi ao acaso que o Mateus ganhou. Não aconteceu em uma semana e ele foi lá e ganhou. Isso tudo foi a longo prazo, com treinos intensos e a participação de todo corpo docente e da diretoria”, disse Ilieste Malta.
Para ficar com o primeiro lugar, Mateus Henrique utilizou a máquina de ferramentas para criar as peças cilíndricas de alta complexidade, desde a programação até a fabricação delas.
“Uma competição deste nível nos dá a oportunidade de investimento e crescimento. Como o Mateus utilizou equipamentos modernos para os treinos, essas máquinas agora estão disponíveis aqui também para a população e os outros alunos também se aperfeiçoarem e evoluírem. Isso nos da à possibilidade de qualificar nossos alunos. Então, a conquista foi muito importante, porque o Brasil tem o melhor torneiro do mundo, e ele é de Rio Preto”, finalizou o professor.

Por Marcelo SCHAFFAUSER

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS