TJ dá aval para empresa construir hipermercado na sede do Palestra

A novela sobre a venda da sede social do Palestra Esporte Clube ganhou mais um capítulo nesta quarta-feira (25). Em sentença do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo foi deferida a reintegração da posse para a empresa Sucesspar Real Estate Desenvolvimento Imobiliário, que havia acertado a compra do local por R$ 60 milhões.

Em março de 2018, a Sucesspar teria acertado a aquisição do terreno com a antiga diretoria do clube. No entanto, um grupo de sócios não concorda com o negócio jurídico celebrado, alegando que a venda para a construtora teria sido feita sem qualquer fiscalização, além de ser considerada extremamente prejudicial para o clube, que enfrenta grave crise financeira.

Dhoje Interior

No ano passado, uma liminar cancelou a venda. Na ocasião, o juiz da 4ª Vara Cível de Rio Preto, Paulo Sérgio Romero Vicente Rodrigues, escreveu que “há sérios indícios de ilegalidade na gestão dos bens dos associados que exigem análise profunda e apuração das responsabilidades, encaminhando para as autoridades competentes (criminal, tributária, etc) o que for apurado”. Essa liminar foi suspensa poucos dias depois.

O advogado da Sucesspar, Emilio Ribeiro Lima, comentou sobre a situação. “Em nenhum momento a empresa se recusou a pagar e sempre respeitou o acordo. Vamos fazer uma reunião para definir a posição da empresa, pois ela não desiste do negócio. A Sucesspar está rigorosamente em dia com as obrigações contratuais e o pagamento só não aconteceu pelo fato do Palestra não cumprir sua parte e contratar a auditoria”, afirmou.

A sede do Palestra será utilizada para a construção de um novo hipermercado. No entanto não há previsão de quando as obras serão iniciadas, já que a construtora aguarda o desfecho do processo para ter segurança jurídica. De acordo com o advogado, a expectativa é que o estabelecimento seja construído em quatro meses, gerando cerca de 1.600 empregos diretos e mil indiretos.

Por Vinícius LIMA