TIPO 2: Com dois óbitos, surto de dengue vira epidemia em Rio Preto

Foto Divulgação

Instituto Adolfo Lutz confirmou o óbito por dengue, em um homem de 66 anos, morador na região do Jardim Americano. A vítima, que tinha problemas de saúde, foi internada no dia 26 do mês passado, tendo apresentando os primeiros sintomas sugestivos para a doença em 20 de janeiro.

O tipo mais agressivo de dengue, o sorotipo 2, já fez duas mortes em Rio Preto. A confirmação da Secretaria de Saúde aconteceu nesta quinta-feira, quando a cidade
também deixou de viver um surto e passou a enfrentar epidemia da doença.

Segundo a gerente da Vigilância Epidemiológica, Andréia Negri, com 453 casos confirmados e outros 1.624 em investigação, o município já atingiu o índice de 100 casos para cada 100
mil habitantes, que sinaliza a mudança de ‘status’ do avanço da doença entre os rio-pretenses.

“Estamos em alerta. Desde que os resultados positivos começaram a aumentar no final do ano passado foi iniciado o plano de contingência para uma possível epidemia na cidade. Infelizmente, com essas mortes, o que era uma possibilidade está se concretizando,
graças à maior virulência do tipo 2”, enfatiza.

De acordo com ela, todas as medidas para montar uma ofensiva eficiente na ‘guerra
contra o Aedes aegypti’ foram adotadas. “No que diz respeito à capacitação, já fizemos
22 treinamentos, atingindo 350 profissionais da área. Rio Preto terá dois centros de hidratação exclusivos para o atendimento de pacientes com dengue, com até 150 leitos, as nebulizações estão sendo feitas nos locais de maior incidência de casos e os agentes buscam conscientizar a população sobre a importância de se eliminar os criadouros”, acrescenta.

ÓBITOS
O Instituto Adolfo Lutz confirmou o óbito por dengue, ocorrido no dia 31 de janeiro
deste ano, em um homem de 66 anos, morador na região do Jardim Americano. A vítima,
que tinha problemas de saúde (cardiopatia, neuropatia e outras comorbidades), foi internada no dia 26 do mês passado, tendo apresentando os primeiros sintomas sugestivos para a doença em 20 de janeiro.

A Secretaria de Saúde confirmou também a morte por dengue de um homem de 38 anos, que residia na Vila Elvira, cujos sintomas característicos tiveram início em 17 de dezembro de 2018.

Para este caso, não foi possível a realização de exames para investigação laboratorial,
sendo que a confirmação se baseou nos sintomas e pelo fator epidemiológico.

Por Daniele JAMMAL

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS