Temporal, transtorno e muito prejuízo em Rio Preto

FOTO/LEITORES 30/11/2017: Chuva forte causou estragos em Rio Preto nesta quinta feira.

A chuva forte com pancadas isoladas e ventos de até 11 km/h, que caiu na tarde desta quinta-feira (30), foi o suficiente para travar o principal terminal de ônibus de Rio Preto.

Segundo a central de atendimento da polícia militar houve pontos de alagamentos no cruzamento das avenidas, Bady Bassitt/Pedro Amaral, Juscelino Kubitschek, avenida de maio, Philadelpho Gouveia Netto, Antônio Tavares Pereira de Lima, Fernando Costa e Praça Cívica.

Teve gente que aproveitou o lado bom da chuva para pescar na estação central de ônibus de Rio Preto. A Defesa Civil informa que as nuvens carregadas que passou por aqui, segue em direção aos municípios de Santa Adélia e Itápolis. Pode haver queda de raios.

FOTO/LEITOR – 30/11/2017: Usuário aproveitou a chuva para pescar no Terminal Central.

Até o último contato que a reportagem do DHOJE teve com Corpo de Bombeiros, não havia registro de vítimas por conta do tempo. Na avenida Murchid Homsi, leitores enviaram vídeos da correnteza cobrindo um carro que estava estacionado na hora da chuva, a sujeira ficou pendurada nas grades de um pontilhão. Dentro de um ônibus que faz o transporte intermunicipal, passageiros ilhados registraram o nível da água.

Por questões de segurança dos passageiros e usuários da Rodoviária, EMURB – Empresa Municipal de Urbanismo, informou via assessoria, que por volta das 17h30 paralisou a circulação dos ônibus, mas que agora todas as linhas seguem operando normalmente. Os problemas provocados pelo temporal também deixaram o trânsito lento na BR-153.


NOTA
Defesa Civil se mobiliza durante temporal em Rio Preto. As quatro estações de medição de chuvas da Cetesb em Rio Preto registraram no fim da tarde desta quinta-feira, dia 30 de novembro, 40 milímetros em menos de uma hora. É o maior volume registrado nos últimos 12 meses.

O volume foi o bastante para transbordar o vertedouro do lago 1 da Represa Municipal. De acordo com o coronel Carlos Lamin, diretor da Defesa de Civil, foi registrado, até o momento, dez quedas de árvores. Não há registro de vítimas

DA REPORTAGEM

Colaborou: Guilherme Ramos.

SEM COMENTÁRIOS