Temporada de pipas acende alerta sobre os perigos do cerol

Foto- Claudio Lahos

Equipes da Guarda Civil Municipal aprenderam no ano passado 183 linhas cortantes, em São José do Rio Preto. O ato de soltar pipas com cerol é crime, porém, ainda há pessoas adeptas nesta prática ilegal.

Céu azul e bastante vendo condições ideais para soltar pipa, neste período de férias escolares, a Guarda Civil Municipal (GCM) orienta os cuidados redobrados que os pais devem ter para fiscalizar os filhos. “Os pais são os primeiros fiscalizadores. Eles devem averiguar se as crianças estão soltando pipa com linhas chilenas ou com cerol, pois elas colocam em risco a vida dos próprios filhos e de outras pessoas”, explica Roger Assis, porta voz da Guarda Civil.

Dhoje Interior

No momento da brincadeira, os agentes orientam os pais a acompanharem os filhos, a fim de evitar acidentes, como atropelamento e choques em locais com fiação.  “Acompanhar os filhos na brincadeira, além do proporcionar a criação de laços afetivos positivos, os pais podem evitar, além do uso de linhas cortantes, que as crianças corram o risco de atropelamento, quando elas correm atrás de pipas nas ruas e avenidas, ou que tomem choque por brincar perto de fios de energia elétrica e até evitar brigas por causa das disputas que costumam acontecer nestes locais”, conta Assis.

Fabricação, comercialização e o uso de linha cortante são crimes. “Se a Guarda Civil Municipal flagrar pessoas utilizando linhas cortantes, elas serão autuadas e terão o material recolhido. Caso seja menor, o responsável responderá por ele. Se houver ferimentos em pessoas ou provocar acidentes com veículos, o responsável será encaminhado à Polícia Civil e responderá processo criminal”, finaliza Assis.

Por Mariane DIAS