SuperHype: PILATES DESENVOLVE FORÇA E FLEXIBILIDADE

Natália Targas Lima está há quatro anos à frente do estúdio Wellness unidade JK. É fisioterapeuta, pós-graduada em Técnicas Osteopáticas e Terapia Manual e especialista em Biomecânica do Movimento. Aprendeu Posturologia na Itália, se formou em Pilates em 2011 na Metacorpus (em São Paulo), estudou Neopilates e hoje também é instrutora da Voll Pilates - maior grupo de pilates da América Latina, que treina novos professores

O esporte ficou famoso nos últimos anos por conta da adesão cada vez maior de praticantes. Os exercícios trabalham o corpo de forma global, melhoram a concentração e aliviam o estresse. Podem ainda ser utilizados para a reabilitação e prevenção de doenças.

O pilates é uma modalidade criada por Joseph Hubertos Pilates. A história conta que o alemão era uma criança muito magra e fraca, pois sofria com raquitismo, asma e febre reumática, mas com a ajuda do pai – praticante de Yoga, e da mãe – uma naturopata, conseguiu desenvolver habilidades físicas.

Para evitar o futuro em uma cadeira de rodas, estudou sozinho anatomia, fisiologia humana e fundamentos de medicina oriental. Ficou obcecado em superar limitações e desenvolveu método próprio. Tornou-se ginasta, mergulhador e, aos 14 anos, era modelo de atlas anatômico.

Ainda na juventude, foi levado ao exílio durante a Primeira Guerra Mundial. No período em que esteve preso, incentivou alemães do pavilhão onde estava locado a praticarem o que ele chamava de “Contrologia” – controle consciente de todos os movimentos musculares do corpo. Depois, o estado de sofrimento dos prisioneiros fez com que criasse um sistema de trabalho mais fácil através aparelhos rústicos fabricados com molas dos colchões e macas velhas. Os movimentos permitiram aos pacientes continuar a se exercitar e desenvolver força e flexibilidade.

Depois da guerra, colaborou com especialistas importantes na dança e nos exercícios físicos. Lutou boxe quando ainda era uma prática ilegal e, em função da repercussão dessas atividades, foi convidado a treinar policiais em Berlin. Na sequência, foi pressionado a treinar membros do exército alemão. Joseph então deixou o país e migrou para os Estados Unidos. Já em Nova Iorque abriu o primeiro estúdio.

Para Natália Targas Lima, fisioterapeuta e preparadora de instrutores, pilates é uma metodologia que trabalha o corpo de forma global, melhora a concentração e alivia o estresse, mas os processos e regras estabelecidos ainda na década de 1930 devem ser seguidos à risca. “Existem adaptações e variações, não são pilates de fato”, explica.
De acordo com a especialista, existem duas modalidades do esporte.“A clássica, que contempla uma sequência precisa de movimentos, e a contemporânea, adaptada às necessidades do aluno”, pontua.

Entre os benefícios estão a tonificação da musculatura, melhora do condicionamento, força, alongamento, mobilidade e alívio de dores. Inclusive, pode ser um exercício complementar e melhorar a prática principal. “O pilates dá suporte para musculatura. Também preparamos bailarinas, triatletas, maratonistas, praticantes de crossfit etc”, completa Natália.

Sobre os mitos que envolvem o método, a instrutora explica que não é algo só para mulheres. “Mais de 30% dos meus alunos são homens”, descontrai e completa: “tem gente que confunde pilates com alongamento e acha que é algo muito leve. Quando você deixa de executar movimentos de forma displicente, com concentração, precisão, contração muscular intensa ao mesmo tempo e fluidez, percebe o quanto estava enganado”.

Indicados para qualquer idade a partir dos 8 anos, os exercícios só não devem ser realizados por pessoas com dores agudas e consequente limitação de movimento e gestantes até o primeiro trimestre. “No primeiro caso, antes de dar início às aulas, deve ser feito um trabalho de fisioterapia. E para as futuras mamães, se já não forem praticantes, pedimos um atestado médico”.Sobre os mitos que envolvem o método, a instrutora explica que não ele é apropriado apenas para mulheres.

Em princípio, são aconselhadas duas aulas por semana. “A média de resultados começam a aparecer de três a seis meses. As dores são reduzidas em até 80% nos 90 dias e a correção postural começa a ser notada em 180. Aliás, eu costumo estabelecer esse prazo na avaliação inicial do meu aluno”, revela a fisioterapeuta.

Por fim, Natália recomenda que, ao escolher um estúdio, o cliente cheque se o instrutor é um fisioterapeuta ou educador físico, se o profissional tem certificação do método (já que a atividade irregular é proibida por lei) e se o professor ensina os princípios do pilates. “Ele também deve ter o mínimo de compreensão da sua queixa principal. Deve investigar sua rotina e, a partir dela, escolher seus exercícios. O aluno nunca pode sair da aula com dor”.

Informações:
Wellness JK – Funcional, NeoPilates, ProgressiveFitBall
Avenida Jucelino Kubitchek de Oliveira ,855
Telefone: (17) 3216-2500

Por Thais MACHADO

SEM COMENTÁRIOS