Suicídio é a segunda maior causa de morte no mundo

O pensamento é a matriz de qualquer manifestação do indivíduo. A pessoa começa a ficar negativa, rejeitar, ficar pessimista e a deixar de trazer o humor para forma de pensar e isso na forma de se expressar vai ficando cada vez mais evidente”

No Brasil, em média 11 mil pessoas tiram a própria vida, segundo levantamento do Sistema de Informação sobre Mortalidade, em 2017. O tema suicídio tem sido algo recorrente principalmente entre os mais jovens, sendo que no país é a quarta maior causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos, mas dentre esse grupo 65,6% dos óbitos também são contabilizados por causas externas (violência e acidente).

Até 2020 a meta é reduzir em 10% a mortalidade de suicídio no país, sendo que o Brasil é signatário do Plano de Ação em Saúde Mental, lançado em 2013 pela Organização Mundial de Saúde. Para o psicólogo Marcus Vinicius Gabriel, o comportamento suicida pode por vezes ficar camuflado ou passar despercebido pelos que vivem mais próximos dessa pessoa. “O comportamento suicida, muitas vezes, é um comportamento de medo, de desaprovação, de esconderijo. Nem sempre a pessoa que tem a intenção de atentar contra a própria vida ela deixa isso revelado, são características muito diferentes, principalmente nos jovens”, disse.
Segundo o psicólogo, é importante se atentar para a forma como a pessoa expressa os sentimentos, pois pode ser um dos primeiros indícios. “O pensamento é a matriz de qualquer manifestação do indivíduo. A pessoa começa a ficar negativa, rejeitar, ficar pessimista e a deixar de trazer o humor para forma de pensar e isso na forma de se expressar vai ficando cada vez mais evidente”, comentou.

Nos últimos três anos os atendimentos em pacientes menores de idade triplicou pelo Hospital psiquiátrico Bezerra de Menezes, em Rio Preto, chegando a 63 atendimentos somente neste ano. “Triplicou o número de atendimento de entrada de menores mais a população juvenil. A maioria vem depois de autolesões ou mesmo um ato suicida. Geralmente o transtorno mais associado ao suicídio é o transtorno depressivo”, afirmou o médico psiquiatra Fuad Baida Marina Neto.

Segundo o psiquiatra, dentre todas as doenças e para toda a população, o suicídio figura como a 15º causa de morte no mundo, sendo que na população jovem (15 a 29 anos) é a segunda maior causa de morte. “O que se vê hoje é o aumento muito grande de suicídio nos extremos das faixas etárias da população. De 15 a 29 anos que aumentou muito e também na população idosa”.

No Brasil, a cada 100 mil habitantes, 5.4 pessoas consumam o ato de tirar a própria vida. No caso dos idosos esse valor sobre para 15 suicídios a cada 100 mil habitantes. O alto índice, de acordo com o psiquiatra, é considerado um problema de saúde pública. “Começo a orientar a população de que é um problema de saúde pública, pois a gente está perdendo uma população jovem que tem o tempo inteiro pela vida e uma população idosa, que precisa de um acompanhamento”, finalizou.

 

Por Priscila CARVALHO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS