Sobe para 19 o número de macacos encontrados mortos em Rio Preto

Além da guerra contra o Aedes Aegypti, a Secretaria Municipal de Saúde declarou, ontem, batalha contra a febre amarela na cidade. Depois de registrar a doença em um macaco encontrado morto no Distrito de Schimitt, Rio Preto já conta com 19 mortes de primatas na região.

Do total, dois macacos não foram examinados. Apenas um foi descartado como portador da doença e outras 15 amostras ainda aguardam o resultado final do Instituo Adolfo Lutz para confirmar se a febre amarela foi ou não a causa da morte dos animais.

De acordo com o secretário, Eleuses Paiva, dos 19 macacos, dois foram encontrados em áreas exclusivamente urbanas, como os últimos recolhidos na região da Beneficência Portuguesa e do Cardeal Leme. Já os outros 17 primatas foram localizados em regiões limites com matas, córregos ou árvores. A maioria dessas áreas, são próximas à cidade.
Com a morte dos três últimos macacos encontrados na região do Cardeal Leme, da Beneficência Portuguesa e na região do Córrego Borá, a secretaria informou que irá intensificar ainda mais a força-tarefa contra a doença com ações de bloqueio de controle de criadouros e ações de nebulização para combater o mosquito Haemagogus e o Aedes Aegypti.

Segundo a pasta, ainda não há confirmação de transmissão da febre amarela pelo mosquito da dengue (Aedes Aegypti). Mas esta possibilidade não está descartada e por isso a importância de combater todo tipo de mosquito. “Não está descartado. O Aedes é porta de entrada de 25 vírus. Então agora a grande batalha é ainda vencer os criadouros”, destacou o secretário.

Já sobre a principal frente de prevenção da febre amarela, a vacina, a secretaria informou que 30 mil doses foram aplicadas em Rio Preto neste ano. Vacinação que se encontra disponível nas 27 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), com horário estendido até às 20h nos postos de vacinação dos bairros Santo Antônio, Jaguaré, Solo Sagrado, Vila Toninho, São Deocleciano, Parque Industrial, Eldorado, Vetorazzo e Schimitt.

No Distrito, o horário especial segue só até amanhã. “Estamos com todas as estratégias para não faltar vacinas nos nossos postos. Nós temos vacinação garantida na rede pública de Rio Preto. Só procurar cada um dos postos”, garantiu Eleuses.

Vacinação
O secretário fez um alerta as pessoas que devem passar por Rio Preto durante o Carnaval. Segundo ele, todos devem tomar a vacina contra a febre amarela com pelo menos dez dias de antecedência. “Rio Preto é uma cidade endêmica. Então as pessoas que vierem para cá, vacinem antes. E quem for sair e deixar as casas, não deixe nenhum criadouro”, afirmou Eleuses.

Todas as pessoas que nunca tomaram a vacina ou que tomaram uma dose há mais de dez anos, devem se vacinar. Já aqueles que tomaram duas doses ou uma dose há menos de dez anos, não precisam ser vacinados. As únicas contraindicações são para gestantes e mulheres que estão em fase de amamentação.

Macacos agredidos
A secretaria alertou ainda para o número de macacos encontrados com sinais de espancamento. Segundo o secretário Eleuses Paiva, dos 19 primatas encontrados mortos, 11 foram encontrados com sinais de violência, como traumatismo craniano e costelas quebradas que podem ser consequência de agressões.

“O macaco é tanto vítima como nós. Ele não é um vetor, ele é apenas um portador da doença. A sociedade não está entendendo a situação”, disse Eleuses. O secretário ainda afirmou que irá acionar a Polícia Ambiental para investigar os casos como crime ambiental contra os animais.

 

Por Francela Pinheiro

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS