Sob protestos de ambientalistas, Câmara aprova inclusão de terrenos

Membros da AAMA exibiram cartazes pedindo a rejeição dos projetos (Foto: Ygor Andrade)

A sessão da Câmara Municipal de Rio Preto teve vários momentos interessantes na noite desta terça-feira. Entre eles, dois merecem destaque. Na chamada ‘Hora do Presidente’, a apresentação do médico Renato Ferreira da Silva, chefe da equipe de transplante de Fígado, Pâncreas e Rins do Hospital de Base. Ele falou a respeito da importância da doação de órgãos, bem como levou convidados para mostrar o sucesso “que a vida tem, quando se tem uma chance”.

A outra presença, desta vez na Tribuna Livre, da engenheira florestal e representante da Associação Amigos dos Mananciais de Rio Preto (AAMA), Silvana Torquato Duarte. Ela falou, principalmente, sobre a questão da inclusão de áreas.

Acompanhada de membros da Associação que exibiram cartazes com dados e fotos da região e um que dizia ‘Inclusão de áreas não’, Silvana disse que o Plano Diretor traça metodologias que podem afetar a Estação Ecológica e a Flores do Noroeste Paulista. “Infelizmente, é uma batalha de interesses”, afirmou.

Na sequência, os vereadores iniciaram as votações justamente da inclusão de mais de dois milhões de metros quadrados no perímetro urbano. O vereador Marco Rillo (PT) foi o único que se colocou contra a aprovação dos projetos do Executivo Municipal. “Isso é progresso? Isso é puro interesse comercial, campanha eleitoral antecipada e ninguém aqui tem coragem de falar. Ninguém respeita o meio ambiente e daqui a pouco viveremos em um deserto”, disse o vereador que completou dizendo que “o único jeito de parar esse ‘progresso vil’, é tirando o prefeito (Edinho Araújo – MDB) de lá (governo) e os demais vereadores”.

O petista pediu vistas de quatro, dos cinco projetos de inclusão. “Vossa excelência, peço vistas de quatro desses cinco, porque no primeiro estava ausente. Sei que vai ser difícil aprovar, mas pelo meu respeito à população, preciso fazer isso”, disse o vereador que foi acompanhado somente pelo vereador Jorge Menezes (PTB).

Os projetos foram para votação e os cinco foram aprovados. Em quatro deles, o placar foi de 16 votos favoráveis e um contrário.

Em um deles a votação ficou em 15 a favor e um contrário. Quinze, porque o vereador Pedro Roberto (PATRIOTA) se ausentou.

“Um dia vamos ter um governo (Federal, Estadual e Municipal) que seja decente. Que vai olhar com carinho para a cidade e não para esse progresso desenfreado”, disparou Rillo.

Por Ygor Andrade

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS