Sistema viário: Construção de viaduto dará mais fluidez e segurança ao tráfego na rua Izidoro Pupim

Após a finalização da obra, o trem passará por cima e os veículos pela passagem inferior. Foto: Cláudio Lahos

Uma reivindicação antiga da população promete trazer maior segurança e fluidez ao trânsito da rua Izidoro Pupim, via que interliga o Distrito Industrial com o Residencial Palestra. O prefeito Edinho Araújo (MDB) assinou na tarde de ontem, a ordem de serviço para construção do viaduto no local, para acabar com o perigo e o transtorno no cruzamento sobre a linha férrea. A obra custará R$ 5,1 milhões e será executada pela empresa de engenharia Constroeste. O prazo previsto de conclusão do serviço é de 180 dias (seis meses).
No local, a linha férrea cruza em nível com a rua Izidoro Pupim, o que dificulta o acesso de moradores e trabalhadores da região, causando risco de acidentes. “É uma obra importante para o sistema viário de Rio Preto. Quando o serviço estiver concluído, o trem vai passar por cima e os carros pela passagem inferior. Isso vai diminuir o risco de acidentes e facilitar o tráfego de veículos e pedestres”, explicou o prefeito.
Além da construção do viaduto sob a linha férrea, o local receberá obras de pavimentação asfáltica e drenagem da água da chuva. Também integra o projeto de obras a construções de passeios públicos (calçadas) com acessibilidade e a sinalização viária. Mesmo diante da execução dos serviços não haverá a interrupção da passagem do transporte locomotivo na via.
De acordo com o secretário de Obras, Sérgio Issas, a construção do viaduto beneficiará a todos que utilizam o local como via de acesso para o Distrito Industrial, como para os bairros da zona Norte. “É uma região que cresceu muito, com várias indústrias e residências próximas do local. Essa obra vai beneficiar a todos que utilizam a via e eliminar o perigo passar sobre a linha férrea”, comentou Issas.

Transtorno dos motoristas

A reportagem esteve no local da construção do viaduto, na tarde de ontem, para ouvir o posicionamento dos motoristas sobre o trânsito na via. Nas respostas colhidas, todos apontaram o transtorno de passar pela rua, principalmente, nos horários de picos (manhã – ida para o trabalho e final de tarde – saída do serviço).
“Tem que ter uma paciência, principalmente nos horários de pico, pois fica parado o trânsito. Com a construção desse viaduto, tende a melhorar o trânsito”, apontou Edimário de Oliveira Silva, operador de laser de uma indústria da região.
O aposentado Roberto Gomes seguiu o mesmo raciocínio, de movimento intenso e lentidão durante a passagem do trem. “É de extrema necessidade essa construção para evitar risco de acidentes e melhorar o trânsito no local. Quando pronto, acredito que vai melhorar em 200% o trânsito aqui”, disse.
Durante a presença da reportagem no local, o trânsito foi interrompido pela passagem do trem por cerca de cinco minutos. Com a parada, uma fila de carros foi formada na via para aguardar a liberação da passagem sobre a linha férrea.
Por Vinícius MAIA – redação jornal Dhoje Interior

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS