Sindicato dos Médicos diz não se opor ao uso da cloroquina

O Sindicato dos Médicos de São José do Rio Preto e região se posicionou nesta sexta-feira, por meio do seu presidente Fernando de Vilhena Diniz, sobre o protocolo do uso de hidroxicloroquina em pacientes com sintomas leves de Covid-19.

“Em relação a hidroxicloroquina e ao protocolo do Ministério da Saúde, temos que reconhecer que para o tratamento da Covid-19 ainda faltam estudos mais robustos. Entretanto, no momento, há uma limitação terapêutica e ainda não temos uma vacina, por isso drogas como a hidroxicloroquina já prescrita há muitos anos para doenças infecciosas e reumatológicas têm sido usadas com segurança. Seus efeitos colaterais são conhecidos e como teve bons resultados em muitos trabalhos in vitro, não nos oporemos ao protocolo proposto, pois seu único objetivo é manter a equidade de oportunidade entre pacientes das redes privada e pública”, afirmou Diniz.

Dhoje Interior

O sindicato ainda ressaltou que respeita a autonomia do médico e que o uso da droga deve ter consentimento esclarecido pelo paciente.

“Em momentos de crise como este podemos lançar mão de tratamentos como este (off-label), com todos os cuidados já referidos, para que possamos tentar mitigar as complicações e internações pela covid-19 até que um tratamento específico e com todas a comprovações chegue, o que pode ainda demorar muitos meses. Enfatizamos que estudos continuam sendo feitos e as orientações podem mudar a qualquer momento”, finalizou.

Por Vinicius LIMA