Signos do Zodíaco cai no gosto dos brasileiros

Foto: Divulgação

O signo do zodíaco de uma pessoa é definindo a partir da observação do Sol (signo solar), verificando em qual constelação ele está localizado no momento do nascimento do indivíduo, por exemplo.

Os signos levam o nome das doze constelações que estão na linha do zodíaco, há mais de 2 mil anos: Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes.

De acordo com a astrologia, os signos do zodíaco têm o poder de definir a personalidade ou influenciar o curso da vida de uma pessoa, algumas levam o assunto bem a sério, e utilizam o estudo para definir os planos do seu ano, na parte, profissional, amorosa, sexual, familiar entre outras.

Thiago Sirotto acompanha a astrologia desde os 12 anos, o hábito começou com o interesse na leitura e em ver os fatos se concretizando. Hoje aos 21 anos, o jovem acompanha em tempo real para comparar o dia a dia. Mas o verdadeiro motivo de Thiago se interessar por horóscopo foi à descrição das características pessoais.

“Eu respeito todas as crenças, tenho as minhas em particular, mas por curiosidade e comparação com o meu dia a dia veio este interesse, que hoje já é habito” conta Sirotto.

Mas e aquelas previsões que estão cada vez mais frequentes na internet?

Segundo especialistas, os horóscopos de internet, revistas e jornais não são muito confiáveis, por ser algo muito superficial, astrólogos explicam que cada pessoa tem seu mapa astral, então não é possível fazer uma única previsão para todas as pessoas do mesmo signo.

A astrologia conta com dois estudos, que são extremamente importantes, a revolução solar, que é feito próximo ao dia do aniversario do indivíduo e faz previsões para o ano todo, e o mapa astral, que é a análise do dia que a pessoa nasceu com detalhes como, mês, dia e horário do seu nascimento, e com essas informações, é descoberta sua personalidade e perspectiva para o futuro. Ou seja, a previsão, do futuro de alguém, é algo muito pessoal, que tem de ser feita, com as características próprias do indivíduo.

Victor Augusto Pereira, Guru e Professor exotérico, conta que há três anos, a procura por previsões vem tendo um aumento significativo, por pessoas de sexos, e idades diferentes, com objetivos distintos. As mulheres correspondem a cerca de 70% da procura, mas os homens ao longo do tempo também têm aderido à ideia. Segundo o especialista, os homens procuram com a intenção de ter uma segurança no ramo empresarial, e as mulheres com uma parte mais sentimental, Victor conta que muitos jovens, que a partir dos 16 anos, tem frequentado consultas, para a decisão da profissão, o que antes não acontecia.

Mas o professor alerta, que apesar de ser algo envolvente, não se devem criar vícios, em previsões astrológicas, afinal, o estudo é feito para auxiliar o indivíduo nas escolhas, não influenciar totalmente na vida da pessoa. Um dos exemplos é quando duas pessoas de signos distintos se relacionam, não é porque os signos não são parecidos, que o relacionamento não vai dar certo. E ainda diz que a astrologia devia ser usada como um estudo não amuleto.

“As pessoas têm que mudar a visão de astrologia, pois ela não é só um instrumento de adivinhação, é também um estudo com muita tradição, que pode ajudar o indivíduo a ser um ser humano melhor, quando é feito por profissional capacitado” explica Pereira.

Colaborou: Thais LOBATO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS