Sete novos poços no Aquífero Bauru vão produzir água para mais 15 mil pessoas

O superintendente do Semae – Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto de Rio Preto, Nicanor Batista Jr., assinou na manhã desta segunda-feira (27) a ordem de serviço para a perfuração de mais sete poços no Aquífero Bauru. A empresa Hidroeste – Construção e Manutenção de Poços Artesianos tem um prazo de 253 dias para concluir o trabalho. O valor do contrato é de R$ 1,7 milhão.

 Os novos poços ficarão localizados na área da ETE – Estação de Tratamento de Esgoto (1), no Jardim Nunes (2), no Residencial Nato Vetorasso (1), no Jardim Felicidade (1) e no Jardim São Marcos (2) e irão produzir 154 m3/hora de água, quantidade para abastecer em torno de 15 mil pessoas. Segundo Nicanor Batista, a produção dos novos poços irá reforçar os sistemas de abastecimento Nunes-Caetano, São Marcos, João Paulo II e Nato Vetorasso, beneficiando localidades onde vivem aproximadamente 50 mil pessoas.  “A produção dos sete novos poços equivale à metade da produção de um poço profundo do Aquífero Guarani, com a vantagem que o Bauru se beneficia com o processo de recarga de água”, declarou.

Atualmente, o Semae produz 55 milhões de m3/ano de água para uma população de 460 mil habitantes. Desse total, o Aquífero Bauru, com 343 poços, produz 27,4 milhões de m3/ano; o Aquífero Guarani, com oito poços, produz 13,5 milhões de m3/ano; e a ETA – Estação de Tratamento de Água, que obtém água do rio Preto, produz 14,1 milhões de m3/ano.

“O Semae continua investindo na produção de água para abastecer rio Preto nos próximos anos. Estamos aumentando a captação do Aquífero Bauru, que até o final do ano deverá estar com 365 poços perfurados operantes. Também estamos próximos de colocar em operação o 9º poço profundo do Aquífero Guarani, perfurado no Residencial Palestra e cujo reservatório está em fase final de construção. Além disso, iremos iniciar a perfuração do 10º poço profundo, na região na Vila Azul. E com a reforma e ampliação da ETA vamos melhorar a eficiência da Estação de Tratamento e aumentar em torno de 10% a produção”, informou o prefeito Edinho Araújo.

Para o superintendente Nicanor Batista, “os novos investimentos na produção de água vai dar uma folga até a solução definitiva de abastecimento no município de Rio Preto que será a captação de água do rio Grande.” Neste semestre, a empresa Estática Engenharia Ltda., que venceu a licitação para a elaboração de estudos de concepção ambiental, projetos básicos e executivos de um novo sistema de captação, tratamento e adução de água para Rio Preto, denominado Sistema Produtor Rio Grande, irá apresentar o resultado do seu trabalho.

Quando estiver em plena operação, o rio Grande poderá disponibilizar para São José do Rio Preto 3m³ por segundo, o suficiente para abastecer uma população de mais de um milhão de habitantes.

 Da Redação 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS