Sessão aprova LDO para orçamento 2018

Vereadores rejeitaram, por unanimidade, o projeto do Poder Executivo que corrigia rejuste aos conselheiros tutelares de Rio Preto dado a categoria por meio das novas tabelas salarias aprovadas pela Câmara. Debate da proposta gerou discussão e protestos nas galerias.

Na última sessão ordinária da Câmara de Rio Preto, antes do recesso parlamentar, os vereadores aprovaram por unanimidade o projeto de Lei das Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2018 que será base para orçamento do próximo ano. Projeto que corrigia o reajuste dado aos conselheiros municipais “por erro de cálculo” foi rejeitado por 16 votos a 0. Já a leitura do relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do auxílio atleta foi adiada.

LDO 2018, aprovada pela Câmara em segundo turno, prevê despesas e receitas em torno de R$ 1,78 bilhão para o orçamento do ano que vem, R$ 800 mil a menos do que atual herdado por Edinho Araújo (PMDB). Os números da LDO podem ser alterados no orçamento final que deve ser encaminhado à Câmara em setembro.

Conselheiros
Em regime de urgência, vereadores rejeitaram por unanimidade o projeto do Poder Executivo que corrigia o reajuste dado aos conselheiros tutelares com a aprovação das novas tabelas salarias. Com salário anterior de R$ 2,7 mil os dez conselheiros começaram a receber R$ 4,5 mil. Prefeitura afirmou que o reajuste foi “erro de cálculo” e que precisava ser corrigido.

Lixeiras
Vereadores também votaram e aprovaram o projeto de Jean Dornelas (PRB) para que as empresas de panfletagem instalem lixeiras nos pontos de distribuições. Outras quatro propostas foram aprovadas em primeira discussão e voltam em pauta na sessão do dia 27 de julho.

 

Por Francela Pinheiro

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS