Sem Messi, FIFA divulga finalista do prêmio de melhor do mundo

Foto Divulgação

Pela primeira vez em 11 anos o argentino Lionel Messi não ficou entre os três melhores finalistas do prêmio de melhor jogador do mundo da FIFA. A entidade máxima do futebol selecionou os mesmos jogadores que a UEFA: Cristiano Ronaldo, Modric e Salah. O croata pode conquistar seu terceiro prêmio em 2018 (já ganhou na disputa europeia e foi eleito o melhor jogador da Copa do Mundo).

Apesar de ter sido o artilheiro da Liga dos Campeões , ter vencido com o Real Madrid e ter feito uma boa Copa do Mundo, Cristiano Ronaldo ainda não marcou pela Juventus e isso pode pesar contra o português. No entanto, o prêmio não está totalmente garantido para Modric. A FIFA já escolheu um jogador diferente da UEFA para ser o melhor do mundo em duas oportunidades. Em 2012, Iniesta foi escolhido pela UEFA e Messi pela FIFA e em 2013 Ribery foi vencedor do prêmio europeu e Cristiano Ronaldo eleito o melhor do mundo.

Mohamed Salah é o primeiro jogador africano a chegar ao pódio da FIFA, mas deve correr por fora. O atacante egípcio se destacou no Liverpool, sendo eleito o melhor do campeonato inglês e chegando até a final da Liga dos Campeões. A lesão sofrida no ombro e a eliminação do Egito na primeira fase da Copa são os seus pontos fracos na temporada.
Deus salve a Rainha!

Marta está mais uma vez entre as finalistas do prêmio de melhor do mundo. A brasileira pode ser eleita pela 6ª vez a vencedora da FIFA. Marta marcou 13 gols na temporada jogando no Orlando Pride, dos Estados Unidos, e foi campeã da Copa América com a seleção brasileira. As adversárias serão a norueguesa Hegerberg, campeão da Champions com o Lyon e com 31 gols marcados no campeonato francês; e a alemã Marozsan, capitã da seleção e companheira de time de Hegerberg nas conquistas do Lyon.

Treinadores
No futebol masculino, o croata Zlatko Dalic e os franceses Deschamps e Zidane vão concorrer ao prêmio de melhor técnico. Zlatko conseguiu levar a Croácia a sua primeira final de Copa do Mundo na história, Deschamps foi campeão do mundial com a França e Zidane levou o Real Madrid ao título da Champions League pela 3ª vez consecutiva.
Já no feminino, o brasileiro Vadão não conseguiu ficar entre os finalistas. Reynald Pedros teve um temporada arrasadora com Lyon, Asako Takakura levou o Japão ao título da Copa da Ásia e Sarina Wiegman fez a Holanda se classificar de forma invicta para o mundial na França do ano que vem. Colaborou: Vinicius LIMA

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS