Sede da Cia. Cênica, em Rio Preto, tem programação de teatro gratuita neste fim de semana

Adiós Paraguay - Alessandro Silva

Espaço gerido pelos artistas da Cia. Cênica, a Sede Cênica, localizada no Jardim dos Seixas, em Rio Preto, tem programação de teatro gratuita neste fim de semana. O local recebe dois grupos do interior paulista para apresentações de seus novos trabalhos, o Contadores de Mentira, de Suzano, e o EMPODERA de Teatro, de Araçatuba.

Na sexta-feira (13/9), às 19h, o Grupo Contadores de Mentira encena “Adiós Paraguay”. Os ingressos serão distribuídos a partir das 18h. A peça tem duração de 150 minutos e são apenas 40 lugares.

“Adiós Paraguay” traça um panorama sobre os seis anos da guerra contra o Paraguai, também chamada Guerra da Tríplice Aliança, maior conflito armado da América do Sul, que durou de dezembro de 1864 a março de 1870 e dizimou cerca de 70% da população paraguaia. Do lado da Tríplice Aliança, participaram Argentina, Brasil e Uruguai.

Em cena, uma mulher encontra um fio e, ao puxá-lo, toda uma história é retirada debaixo do tapete, detrás de quadros, da poeira de livros antigos. Figuras como Solano Lopez (presidente do Paraguai na época), Madame Lynch (esposa de Solano), um velho, duas jovens, um cavalo e um soldado corneteiro são trazidos por esse fio da memória, que a cada momento cria questionamentos e provocações acerca do que se sabe da história.

O Grupo Contadores de Mentira deu início à jornada de construção do espetáculo em 2013, quando circulava com uma obra que trata do massacre de Canudos (1896 a 1897), outro capítulo sangrento da história do Brasil. “As pesquisas desse trabalho nos fizeram voltar um pouco mais na história e assim chegamos à Guerra contra o Paraguai. Depois de cinco anos de pesquisas, ainda não nos sentíamos preparados o suficiente para falarmos desse assunto. Como brasileiros, sentíamos o peso de estarmos no território do opressor. No Brasil, pouco se fala dessa guerra – aliás, pouco se fala de episódios violentos de nossa história. O Brasil Império, junto ao Uruguai e Argentina, reduziu a população do Paraguai a quase 30%”, conta o grupo.

Dentro de suas pesquisas, em janeiro de 2019, os integrantes do Contadores de Mentira cruzaram os limites do país com destino ao Paraguai e fizeram o percurso da guerra. “Estivemos em locais que foram campos de batalha, em Reservas históricas e Culturais, visitamos museus, prédios históricos, navegamos no Rio Paraguai, conversamos com historiadores, pensadores, artistas. Escutamos o povo, suas cobranças e sentimos a ferida aberta”, contam.

Do Paraguai, partiram para Argentina e depois para o Uruguai. Foram mais de 47 horas de viagem, em ônibus e barco e 19 cidades percorridas. “Em cada cidade, encontrávamos mais perguntas, mais desdobramentos, mais pessoas interessadas em nos apoiar nesta investigação. Depois de seis anos, colocamos em cena aquilo que nos atravessou em todo

esse mergulho. Compreendendo nosso dever político, social e estético de questionar nosso país, de colocar em cena o massacre e a violação de um povo. Esta obra é nossa maneira de dizer que é preciso estar sempre atentos à nossa história. O Brasil, este país continente, desconhece a violência que carrega em sua bandeira, fecha os olhos para o passado e muitas vezes tenta negar que seu presente é consequência dessa mão opressora, endireitada e violenta”, pontua o grupo.

Outro espetáculo

Já no sábado e no domingo (14 e 15/9), a Sede Cênica recebe o Grupo EMPODERA de Teatro, que fará duas apresentações gratuitas da peça “EU, MULHER!”. O grupo também promoverá a Oficina de Dramaturgias Femininas (direcionada a mulheres) e a Roda de Conversa sobre a Mulher no Teatro Brasileiro, ambas com inscrições antecipadas pelo email: [email protected]. Todas as atividades são gratuitas.

No sábado, o espetáculo será às 20h e, no domingo, às 19h30. Serão apenas 50 lugares por sessão, e os ingressos distribuídos uma hora antes. A classificação indicativa é 18 anos.

Dividida em três monólogos, a peça “EU, MULHER!” narra o drama de três mulheres: a primeira, que sufocou (Brunna Lima); a segunda, que foi para a rua (Larissa Lacava); e a terceira, que virou festa (Geovanna Leite). Todas elas dão vazão aos seus pensamentos na tentativa de se empoderarem da própria existência, em meio a uma sociedade tradicional e conservadora.

“Nunca apresentamos em São José do Rio Preto e será desafiador, porque a movimentação da peça se transforma em cada espaço”, adianta a atriz Brunna Lima. Para o diretor e dramaturgo, Heitor Gomes, tanto o espetáculo quanto as atividades propostas ajudam a despertar para o enfrentamento da violência contra a mulher e trazem reflexões que visam a igualdade entre os gêneros na sociedade.

As ações do grupo de Araçatuba fazem parte do projeto “EU, MULHER! – Teatro e Empoderamento no Noroeste Paulista”, idealizado pelo EMPODERA, e contam com recursos do ProAC (Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo), por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. O grupo também tem apoio da Secretaria de Cultura de Araçatuba, Senac Araçatuba e da Cia Cênica.

Adiós Paraguay

Grupo Contadores de Mentira (Suzano/SP)

Sinopse:

“Adiós Paraguay” aborda o tema histórico da Guerra da Tríplice Aliança contra o Paraguai. A obra traça um panorama sobre os seis anos do conflito que dizimou cerca de 70% do povo paraguaio. Uma mulher encontra um fio, ao puxá-lo, toda uma história é retirada debaixo do tapete, detrás de quadros, da poeira de livros antigos. Figuras como Solano

Lopez (presidente do Paraguai na época), Madame Lynch (esposa de Solano), um velho, duas jovens, um cavalo e um soldado corneteiro são trazidos por este fio da memória que a cada momento cria questionamentos e provocações acerca do que se sabe da história.

Classificação indicativa: 14 anos

Duração: 150 minutos

Ficha técnica:

Direção e dramaturgia: Cleiton Pereira

Criação e direção musical: Michael Meyson

Músicos: Michael Meyson, Matheus Borges, Silas Xavier

Atuadores/Atuadoras: Cleiton Pereira, Daniele Santana, Kaique Costa, Math’eus Borges, Pâmella Carmo, Samuel Vital

Iluminação: Math’eus Borges

EU, MULHER!

Grupo EMPODERA de Teatro (Araçatuba/SP)

Sinopse:

Dividida em três monólogos, a peça narra o drama de três mulheres: a primeira, que sufocou; a segunda, que foi para a rua; e a terceira, que virou festa. Todas elas dão vazão aos seus pensamentos na tentativa de se empoderarem da própria existência, em meio a uma sociedade tradicional e conservadora.

Classificação indicativa: 18 anos

Duração: 60 minutos

Ficha Técnica:

Direção e dramaturgia: Heitor Gomes

Assistência de direção: Rodrigo Santiago

Atrizes e colaboradoras de dramaturgia: Brunna Lima, Larissa Lacava e Geovanna Leite

Sonoplastia: Lucas Antunes

Iluminação: Rodrigo Santiago

Operação de luz, som, participação em cena: Mônika Norte

Preparação de canto: Letícia Nascimento

Figurino e adereço de cena: Duda Viana

Arte gráfica e ilustrações: Adrian Christian

Fotografia: Rafaela Cândido

Assessoria de Imprensa: Thaísa Fernanda

Produção executiva: Rodrigo Santiago

Assistência de produção: Mônika Norte

Produção geral: Heitor Gomes e Larissa Lacava

PROGRAMAÇÃO: FINAL DE SEMANA NA SEDE CÊNICA

Endereço: avenida das Hortênsias, 263, Jardim dos Seixas – Rio Preto

Sexta (13/9)

19h – Espetáculo Adiós Paraguay, com Grupo Contadores de Mentira (Suzano/SP). 14 anos. Grátis. 40 lugares. Retirada de ingressos a partir das 18h

Sábado (14/9)

13h30 às 17h30 – Oficina de Dramaturgias Femininas, com Grupo EMPODERA de Teatro (Araçatuba). 16 anos. Grátis. 20 vagas (apenas para mulheres). Inscrições: [email protected]

20h – Espetáculo “EU, MULHER!”, com Grupo EMPODERA de Teatro. 18 anos. Grátis. 50 lugares. Retirada de ingressos a partir das 19h

Domingo (15/9)

13h30 às 16h30 – Roda de Conversa com Grupo EMPODERA de Teatro. 16 anos. Grátis. 50 vagas. Inscrições: [email protected]

19h30 – Espetáculo “EU, MULHER!”, com Grupo EMPODERA de Teatro. 18 anos. Grátis. 50 lugares. Retirada de ingressos a partir das 18h30

Da REDAÇÃO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS