Se largarem o vício, fumantes podem economizar até R$ 1 mi em 30 anos

fazendo as contas - Thiago Raphael Vieira, afirma que com a economia é bom pensar em parar de fumar

Um maço de cigarros por dia parece pouco para um fumante. Porém, além de ser prejudicial para a saúde, o custo atual de R$8, a média, em 30 anos de vício, também prejudica a saúde do bolso, já que durante esse período, a pessoa poderia se tornar milionária.
De acordo com Natália Martins, educadora financeira e diretora da Unidade DSOP de Educação Financeira em Rio Preto, o valor acumulado e que ficaria disponível para o ex-fumante seria de R$ 1.028.274,92, ao final de três décadas.

“O bolso doí mais do que a saúde para as pessoas, porque no bolso ela vê o impacto hoje. Na saúde o impacto é mais para frente. Com o maço de cigarros, no mês, com o custo em média de R$ 8, a pessoa tem um gasto de R$ 240 no valor acumulado. Isso, para uma família que recebe de dois a três salários mínimos, impacta de forma agressiva, chegando a quase 20% do orçamento só com o vício”, explica à educadora.

Segundo Natália Martins, o objetivo de mostrar para o fumante o tamanho da economia que poderia ser feita, também vale para outros vícios, mas, principalmente, para que as pessoas tomem consciência de como utilizarem seu dinheiro.
“Justamente, essa é a nossa luta dos educadores financeiros. Transformar esse investimento em cultura. O conceito está ligado ao comportamento, ao ato de poupar. O que mais nos preocupa hoje são as pessoas que gastam antes de receberem. Para inverter essa situação, a pessoa precisa fazer uma análise. Por exemplo, 30% das despesas nas contas básicas, como água e luz, são desnecessárias”, afirmou.
Exemplo de quem conseguiu superar o vício e ainda investir, é o comerciante, Evandro Lucas Vieira, 31 anos, que fumou por 12 anos e parou de fumar há três. “Consegui investir o dinheiro, que antes era para o cigarro, no apartamento que comprei junto com minha esposa. Na época que eu fumava, eram dois maços por dia e custavam R$ 6,50 cada. Percebi que começou a sobrar o dinheiro, sim. Tentei juntar e acabei investindo no apartamento que compramos”, disse.
Por outro lado, quem se mostrou impressionado com o tamanho do montante que pode ser acumulado, caso deixe o cigarro para trás, foi Thiago Raphael Vieira, 26 anos, auxiliar administrativo, que fuma há seis anos. “Eu fiz essa conta esses dias. Gasto, em média, R$150, R$180 por mês. Como comecei com 20 anos, hoje teria uns R$ 12 mil, o valor do meu carro”, concluiu.
Para finalizar, a educadora financeira explica que, atualmente, 1% dos aposentados são independentes financeiramente. Não dependem do governo ou da previdência. “A pessoa consegue construir um padrão de vida que a maioria dos brasileiros não tem. Ela pode ter e usufruir do padrão de vida acumulado com os anos. Esse valor de R$ 1 milhão acumulado durante 30 anos renderá mensalmente R$ 10 mil por mês, se ela conseguir viver com R$ 5 mil, ainda sim poderá deixar outros R$ 5 mil rendendo”, encerrou Natália Martins.

Por Marcelo SCHAFFAUSER

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS