SAÚDE FISIO: GAMETERAPIA – Os jogos virtuais sendo usados como recursos terapêuticos na fisioterapia

Gameterapia de forma simples e direta é um tipo de terapia lúdica, em que se faz uso de jogos eletrônicos como ferramenta facilitadora. Sua aplicação pode variar consideravelmente, já que cada tipo de jogo interage com o paciente de forma diversa. O trabalho do terapeuta é garantir que a aplicação da ferramenta esteja correta, sempre de acordo com o objetivo terapêutico original.

Os problemas que podem ser corrigidos com a gameterapia são bem amplos. Ela tem aplicações para melhoria de postura, reabilitação física, estímulo neurológico, entre muitas outras.

Dhoje Interior

A terapia de jogos estimula fortemente várias partes do cérebro.
O videogame é conhecido por deixar algumas crianças bem agitadas, dificultando o sono e a concentração quando jogado em excesso. Porém, em dosagens moderadas e com o direcionamento certo, o ambiente digital interativo dos jogos é uma excelente maneira de exercitar diversas partes do cérebro ao mesmo tempo.

Os estímulos mais comuns estão relacionados à orientação visual e à coordenação motora. É necessário ter várias conexões neurais para captar os estímulos visuais e transmitir rapidamente estes comandos, de forma coordenada, até mãos, pés e dedos.

O uso de videogames em sessões fisioterapêuticas, neurológicas e ortopédicas vem sendo difundido como solução para tornar a reabilitação de pacientes mais dinâmica e recreativa. Conhecida como gameterapia, a técnica foi desenvolvida no Canadá em 2006 e, desde então, ganhou milhares de adeptos no mundo. Por muito tempo, foi rotulado como incentivador do sedentarismo. Entretanto, o que nem todos sabem é que eles também podem ser utilizados com finalidade terapêutica e podem ser bastante benéficos à saúde. Assim, surgiu em meados de 2006, no Canadá, o conceito de “gameterapia”, com a finalidade de utilizar de videogames, com sensores de movimentos, por profissionais da saúde para tratar pacientes. Essa prática tem se popularizado em diversos países, incluindo o Brasil, através da Fisioterapia.

Nela, eles podem ser utilizada em todas as áreas, porém tem maior destaque para pacientes da traumato-ortopedia e neurofuncional. Outros segmentos também tem demonstrado resultados promissores, como, por exemplo, a reabilitação cardiorrespiratória nas unidades de Terapia Intensiva e para atendimentos na área de saúde da mulher. O diferencial dos videogames utilizados na reabilitação são os “exergames”, que são consoles com dispositivos de captação de movimento, através de sensores ou plataforma, que permite que os jogadores fiquem fisicamente ativos. O paciente realiza o movimento, o sensor capta, e suas ações são refletidas na tela.

O objetivo principal é utilizar a tecnologia como facilitadora da reabilitação fisioterapêutica, pois pode ajudar a tirar o foco da dor e dos problemas, tornando mais fácil a adesão ao tratamento e deixando as sessões mais lúdicas e atrativas. No entanto, os videogames não substituem as técnicas convencionais da fisioterapia. Pelo contrário, o videogame deve ser uma ferramenta extra para enriquecer o tratamento.

Os resultados são bem positivos em pacientes de todas as faixas etárias, porém deve ser utilizado com supervisão e cautela. Como o foco do paciente é o jogo, cabe ao profissional que supervisionar realizar os ajustes biomecânicos e se certificar de que as atividades estão sendo feitas da forma correta. Dessa forma, cada jogo deve ser escolhido de acordo com as necessidades individuais, a idade do paciente, a dificuldade do exercício, a fase do tratamento e o objetivo terapêutico, evitando, assim causar lesões ou piorar uma condição pré-existente.

A gameterapia possui inúmeros benefícios, mas, sem dúvida, o principal deles é tornar a reabilitação mais dinâmica e prazerosa. O foco do tratamento é o exercício e ele pode trazer melhoras da amplitude de movimento, força, equilíbrio, concentração, cognição, autoestima, qualidade de vida, sintomas de depressão, alívio de estresse e diminuição do tempo de internamento.

Os jogos mais utilizados na gameterapia são: boxe, tênis, boliche, golfe, simulador de caminhada, dança, esqui. Inicialmente, foi utilizado como coadjuvante no tratamento de AVE (acidente vascular encefálico) e TRM (trauma raqui-medular), mas também pode contribuir no tratamento de diversas outras doenças neurológicas, ortopédicas e cardiovasculares, atuando nas disfunções motoras, cognitivas e comportamentais. Ainda são poucos os profissionais que utilizam esses outros recursos de realidade virtual, mas a prática vem crescendo bastante.

Segue entrevista com a Dra. Juliana Pereira da Silva, fisioterapeuta, que trabalha com esta técnica de games para reabilitação e tratamento de pacientes na cidade de Petrolina.

ENTREVISTA

1. QUAIS APLICATIVOS EXISTEM NO MERCADO BRASILEIRO HOJE VOLTADO PARA GAMER DE FISIOTERAPIA?
Os mais utilizados são os consoles Nintendo Wii e Xbox 360 Kinect, óculos de realidade virtual e games com biofeedback. Cada um serve para um nicho específico da fisioterapia.

2. QUAL O CUSTO DE UMA SESSÃO DE GAMETERAPIA?
O valor depende da tabela de Referencial Nacional de Procedimentos Fisioterapêuticos estabelecida pelo COFFITO (órgão que rege os fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais a nível nacional). Ele pode variar para cada região, de acordo com o CREFITO (que é o conselho regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional).

3. A GAMETERAPIA É UM COMPLEMENTO PARA AS TÉCNICAS DE FISIOTERAPIA OU ELA É CONSIDERADA UMA TÉCNICA INDIVIDUALIZADA?
É um complemento. Nenhuma técnica nunca será superior a nosso maior instrumento de trabalho que são as nossas mãos. Mas a realidade virtual, através da gameterapia, é uma importante aliada, pois deixa o tratamento mais desafiante e lúdico.

4. COMO SURGIRAM OS GAMES PARA FISIOTERAPIA NO BRASIL? 
Os videogames com sensores de movimento vieram importados de outros países e, inicialmente, foram testados, no Brasil, como coadjuvantes no tratamento de AVE (acidente vascular encefálico) e TRM (trauma raqui-medular).

5. QUAL MELHOR RESULTADO VOCÊ OBTEVE COM GAMES EM PACIENTES?
A gameterapia possui inúmeros benefícios, mas, sem dúvida, o principal deles é tornar a reabilitação mais dinâmica e prazerosa. O foco do tratamento continua sendo o exercício, e ele pode trazer melhoras da amplitude de movimento, força, equilíbrio, concentração, cognição, autoestima, sintomas de depressão, alívio de estresse e melhora da qualidade de vida.

6. QUAIS PATOLOGIAS SÃO TRATADAS COM GAMES?
São inúmeras, mas principalmente sequelas de problemas neurológicos (AVE, TRM, paralisia cerebral, síndrome de Down), problemas traumato-ortopédicos em geral (bursite, tendinite, reabilitação pós cirúrgica) e problemas cardiopulmonares.

7. VOCÊ ACREDITA QUE SERÁ UM MODISMO OU ESSA TÉCNICA GAMER VEIO PARA FICAR?
A técnica ainda é tímida no Brasil, porém promissora. Por muito tempo, esbarrou no custo dos consoles e dos games, quando comparado com outras ferramentas, mas hoje já existem empresas fabricando equipamentos exclusivos para o uso na fisioterapia e a tendência é que os preços fiquem mais acessíveis. Tem crescido bastante seu uso na fisioterapia uroginecológica, nos tratamentos de incontinência urinária, por exemplo.

8. QUAL A IDADE IDEAL PARA PRÁTICA DE GAMETERAPIA?
Não existe uma faixa etária ideal. Pode ser utilizado para crianças, adolescentes, adultos e idosos, desde que o paciente consiga entender os comandos. Cada jogo deve ser escolhido de acordo com as necessidades individuais, a idade do paciente, a dificuldade do exercício, a fase do tratamento e o objetivo terapêutico, evitando, assim causar lesões ou piorar uma condição pré-existente.

9. É NECESSÁRIO UMA ESPECIALIZAÇÃO PARA TRABALHAR COM GAMETERAPIA?
Não é obrigatório. Durante a própria graduação, o fisioterapeuta acumula conhecimentos como anatomia, cinesioterapia, cinesiologia e biomecânica, e métodos e técnicas de avaliação que o permitem prescrever e orientar o paciente. Porém, é preciso estar familiarizado com o jogo, para saber adequar a técnica ao problema do paciente.

10. ONDE ESTÃO OS MELHORES RECURSOS PARA O PROFISSIONAL QUE QUEIRA ESPECIALIZAR EM GAMETERAPIA?
Existe alguns cursos de curta duração que ensinam a técnica e a maioria é oferecida nas grandes capitais e regiões metropolitanas do país.

Meus agradecimentos à Dra. Juliana pelo empenho e dedicação em realizar esta matéria! Instagram: @fisiojulianapereira

Dra Silvia Batista
Fisioterapeuta e educadora física
@silviabatistafisiodancer
Email: [email protected]