Saúde e Meio Ambiente vão monitorar equinos da represa

A Secretaria de Saúde de Rio Preto, em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo, está realizando um monitoramento contínuo no Parque da Represa Municipal e adjacências, visando à prevenção ao contágio da febre maculosa brasileira, visto que as áreas são classificadas pela Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN) como predispostas à transmissão dessa doença.

Como parte do monitoramento, está prevista, nas próximas semanas, a coleta de sangue de 15 equinos que vivem na região da represa por mais de três anos. Esses animais são considerados sentinelas, ou seja, indicam a presença da febre maculosa no local, através de anticorpos. A ação será realizada pelos veterinários do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e do Zoológico Municipal e os exames serão analisados pela SUCEN.

A febre maculosa brasileira é uma doença transmitida pelo carrapato-estrela, que pode ser encontrado em animais de grande porte, como bois e cavalos, bem como em cães, aves domésticas, roedores e, especialmente, na capivara, animal comum no Parque da Represa. As pessoas podem ser contaminadas pela picada do carrapato.

O monitoramento tem como objetivo a prevenção, visto que o município nunca registrou casos positivos da febre maculosa brasileira em humanos e animais.

Da REDAÇÃO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS