Macaco é encontrado morto com febre amarela; Saúde faz bloqueio na região

Nebulização será estendida até o corredor formado pelo Córrego dos Macacos. Foto: Claudio Lahos

A Secretaria de Saúde de Rio Preto confirmou nesta terça-feira (20) a morte de um macaco por febre amarela na área de abrangência da UBSF Caic/Cristo Rei. O município não registra casos da doença em humanos desde 2000.

A Febre Amarela é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti. Por este motivo, a Vigilância Ambiental fará o bloqueio de criadouro e nebulização da área. A ação também será realizada no Jardim Americano e a nebulização será estendida até o corredor formado pelo Córrego dos Macacos, que abrange as áreas do Caic e Vila Toninho.

Dhoje Interior

“Neste momento pedimos para que as pessoas verifiquem suas carteiras de vacinação, pois é a melhor forma de se proteger da doença. Os sintomas são bem parecidos com o da dengue, como febre, dor de cabeça, dor no corpo e até pele amarelada em casos mais graves. As pessoas que apresentarem os sintomas deverão procurar uma unidade de saúde não Covid-19”, afirmou a gerente da vigilância epidemiológica Andreia Negri.

De acordo com a Saúde, o município conta com 14 mil doses da vacina contra a febre amarela, além dos estoques das unidades básicas. O número é considerado o suficiente para atender a demanda. Em Rio Preto, a cobertura de imunização contra febre amarela em crianças menores de 1 ano está em 89%, sendo que a meta é atingir cobertura na rotina de 100%.

Os critérios para vacinação são:

– Crianças devem receber a primeira dose aos 9 meses e reforço aos 4 anos.

– Pessoas maiores de 5 anos que receberam apenas uma dose da vacina aplicada antes dos 5 anos de idade precisam receber um reforço.

– Pessoas que receberam uma dose após os 5 anos de idade estão protegidas e não precisam de reforço.

– Pessoas não vacinadas devem receber uma dose da vacina (idade mínima 9 meses).

Os endereços das salas de vacina estão disponíveis neste link: www.riopreto.sp.gov.br/mapavacina.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior