Rio Preto: Saúde atualiza números de doenças transmitidas pelo Aedes

A Secretaria de Saúde de Rio Preto atualizou, os casos de dengue, zika, chikungunya e febre amarela, no município, em 2017.

Dengue:

Dos 1.334 casos suspeitos de dengue, 311 foram confirmados, enquanto 740 foram descartados. Outros 283 casos ainda estão sendo investigados. “O período de maior sazonalidade da dengue compreende em geral os meses de fevereiro a maio, tanto nos anos epidêmicos, quanto nos anos em que há redução dos casos, como o que está ocorrendo agora no município”, disse Andréia Negri, gerente da vigilância epidemiológica da Secretaria de Saúde de Rio Preto.

Em relação ao mesmo período do ano passado, houve uma queda de 95,5% nos casos confirmados. No primeiro quadrimestre de 2016, Rio Preto havia confirmado 7.068 casos de dengue.

Mesmo com a redução, Andréia ressalta que as ações de prevenção devem continuar. “A dengue é endêmica em Rio Preto. Mesmo no inverno pode-se manter o registro de casos em menor escala, então, todos devem continuar realizando as medidas de prevenção e controle do Aedes aegypti através da eliminação dos possíveis criadouros do mosquito”.

Zika Vírus e Chikungunya:

Dos 46 casos suspeitos de zika vírus, quatro estão em investigação e um foi confirmado, os outros 41 foram descartados. Em relação à chikungunya, há três casos em investigação e quatro confirmados. Outros 25 casos já foram descartados.

Febre amarela:

Quanto à febre amarela, não há registros de casos em humanos em Rio Preto. Contudo, a vacinação continua sendo feita nas 27 unidades de saúde do município, com registro de 51.494 doses aplicadas neste ano.

“A vacinação é a forma mais eficaz de prevenção da febre amarela. Nas áreas de risco é importante garantirmos uma elevada cobertura vacinal para evitarmos casos/surtos da doença”, disse Andréia.

Em relação às epizootias, houve 53 macacos mortos, sendo que em um confirmou-se a contaminação de febre amarela.

 Gripe H1N1:

Com a chegada do outono, quando o tempo fica mais frio e seco, os casos de gripe costumam aumentar. Este ano, a vacina distribuída na campanha da vacinação contra a gripe, iniciada no dia 17 de abril, é trivalente: protege o organismo contra os vírus da Influenza A, Influenza B e Influenza H1N1. O município não registrou caso de síndrome respiratória aguda grave da gripe H1N1, mas as seguintes medidas de prevenção também são importantes:

  • Frequente higienização das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento.
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal.
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir.
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar. No caso de não haver água e sabão, usar álcool gel.
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca.

Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.

  • Manter os ambientes bem ventilados.
  • Evitar contato próximo pessoas que apresentem sinais ou sintomas
  • Evitar sair de casa em período de transmissão da doença.

de Influenza.

  • Evitar aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados).
  • Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.
  • Orientar o afastamento temporário do trabalho, escola, entre outros, até 24 horas após cessar a febre.

Da REDAÇÃO

SEM COMENTÁRIOS