Rio Preto ocupa segundo lugar em serviços oferecidos à população

Rio Preto, segundo a pesquisa, subiu uma posição em gestão em comparação com ano anterior (Foto: Divulgação SMCS)

Rio Preto é a segunda melhor cidade do país em gestão. O município saltou uma posição em relação ao ano passado. A pesquisa revela o impacto da crise no desempenho da gestão nas 100 maiores cidades brasileiras, com termos de população com mais de 273 mil habitantes, que respondem por cerca de metade do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.
Os dados são do estudo de Desafios da Gestão Municipal (DGM) 2020. Foram analisadas quais cidades entregaram mais serviços em áreas essenciais como saúde, educação, segurança, qualidade de gestão financeira, saneamento e sustentabilidade.

Piracicaba é a primeira colocada no ranking geral da pesquisa, com um IDGM de 0,757. São José do Rio Preto e Maringá, ambas com IDGM 0,739, ocupando a segunda posição do ranking geral. São José dos Campos ocupa, assim, a 4ª colocação, com IDGM de 0,738, e Jundiaí a 5ª, na aferição das melhores entregas de serviços à população, com IDGM de 0,730. O Estado do Rio tem cinco cidades entre as dez piores do ranking e Ananindeua (PA) está na lanterna entre as cidades analisadas, com IDGM 0,404.

Os municípios pesquisados concentram 38% da população e 52% dos empregos formais criados no país. “Com índices positivos é natural que as pessoas queiram morar aqui e tenham orgulho da cidade. Além disso, também estamos entre as melhores cidades do Brasil para se fazer negócio (Urban System) e recentemente recebemos o 1º lugar no programa Município Verde Azul. Temos qualidade de vida, saúde, educação, saneamento e administração confiável. Tudo isso só é possível com muito planejamento e boa gestão e apoio do funcionalismo para a melhoria no serviço público”, afirmou o prefeito Edinho Araújo.

Na experiência internacional, as cidades que lideram as listas dos melhores lugares para se viver, em geral, são as que conseguem conciliar geração de oportunidades com qualidade de vida e a gestão municipal tem papel crucial nesta função.

Os municípios, por exemplo, são responsáveis pelos anos iniciais do ciclo escolar que são determinantes para a igualdade de oportunidades. Nas famílias com renda domiciliar per capita de até um salário mínimo, 90,7% das crianças de 6 a 14 anos frequentam escola pública ( Pnad, 2018) A maior parte delas na rede municipal que abriga 68,5% das matrículas do ensino fundamental da rede pública ( Censo Escolar , 2018). Quanto pior a qualidade do serviço público, maior tende a ser o abismo entre os que dele dependem e os que podem recorrer a iniciativa privada. O desempenho global da gestão de cada cidade é avaliado por um índice sintético, composto por uma cesta de 15 indicadores de todas as áreas analisadas, o IDGM – Índice Desafios da Gestão Municipal. O IDGM varia de 0 a 1.

Quanto mais próximo de 1, melhor o desempenho do município.

Educação

As cidades com a melhor aferição no IDGM Educação reúne indicadores de matrículas em creche; matrículas em pré-escola, IDEB Ensino Fundamental I e IDEB Ensino Fundamental II são do interior de São Paulo, sendo Piracicaba em 1° lugar e Rio Preto em 2° lugar.

Por Mariane DIAS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS