Rio Preto: Objetos ‘esquecidos’ aguardam donos no Poupatempo

Quem nunca esqueceu algum objeto e teve que apelar ao setor de achados e perdidos, que atire a primeira pedra. Com um fluxo diário de cerca de 10 mil pessoas, muitos são os ‘esquecidos’ pelo Poupatempo de Rio Preto. Atualmente 180 objetos aguardam pelo resgate de seus respectivos donos na unidade que fica na área central da cidade.
Desde dezembro de 2015, quando o setor ganhou um aplicativo para controlar e catalogar o que se encontra perdido pelo local, já foram 1032 registros pela unidade rio-pretense. Os documentos pessoais são os objetos mais perdidos e representam 56% do montante. O RG é o documento mais achado no Poupatempo, representando 26% de todo o volume de objetos achados.

“A gente tem procurado catalogar tudo certinho para fazer esse retorno. Os mais esquecidos são os documentos como RG e CNH.”, disse o administrador do Poupatempo de Rio Preto, José Américo Pontes.

Administrador do Poupatempo de Rio Preto, José Américo Pontes, conta que o RG é o documento mais equecido pelas pessoas que passam pelo local. Além do documento de identidade, o setor também guarda capacetes, bolsas, chaves e relógios

Mas se engana quem acha que apenas documentos pessoais e cartões de banco são os esquecidos por lá. Há também o registro de bolsas, guarda-chuvas, capacetes, chaves, óculos de grau e de sol, relógio, bengalas, kit de talheres, roupas, carteira com dinheiro e até mesmo um andador de idoso, algo considerado como o objeto mais inusitado esquecido no Poupatempo, segundo o administrador da unidade. “Nós tivemos o andador e ficamos nos perguntando como a pessoa foi embora. Brincamos que fizemos um milagre e a pessoa saiu andando. Mas no dia seguinte a pessoa voltou para buscar o objeto”, contou Pontes.
Segundo o administrador do posto, a agilidade no atendimento pode ser uma das causas dos esquecimentos. “A rapidez no atendimento, porque às vezes você vem fazer um licenciamento e leva cinco ou dez minutinhos, acaba sendo rápido e a pessoa acaba esquecendo”. Dos objetos esquecidos, cerca de 11% desse volume são entregues aos respectivos proprietários. “A gente vem procurando melhorar essa taxa de retorno e temos conseguido melhorar um pouco isso”, afirmou.

Guarda-chuvas também estão esquecidos no ‘achados e perdidos’. Foto Guilherme Batista

Os itens encontrados são levados ao setor de Achados e Perdidos, na própria unidade e ficam de 60 a 90 dias em período de guarda. Após esse tempo os documentos são enviados ao respectivo órgão emissor; objetos de valor são doados ao Fundo de Solidariedade ou entidades como Amicc e Asilo de Schimidt; e objetos em mau estado são descartados.
A pessoa que perde um documento em um dos postos, também pode consultar o Achados e Perdidos do Poupatempo no portal www.poupatempo.sp.gov.br ou pelo celular, utilizando o aplicativo SP Serviços. Pelo número do documento é possível saber onde ele se encontra à disposição para ser retirado. Para objetos perdidos, o cidadão pode fazer a consulta também pelo aplicativo ou pelo portal, clicando em Fale com o Poupatempo – nesse caso é necessário informar a descrição do objeto.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS