Rio Preto não registra caso de sarampo há 18 anos

O surto de sarampo que atingiu a cidade de Manaus assustou o país durante esta semana. Foram 271 casos na capital do Amazonas e houve até a morte de uma criança de sete meses. Rio Preto, porém está na contramão e não registra um único caso desde 2000.

De acordo com a Secretária da Saúde, já foram aplicadas 13.052 doses das vacinas contendo o sarampo em 2018. A Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola) e o Tetra Viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela) são as vacinas aplicadas pelas UBS (Unidades Básicas de Saúde). A média é de 2.200 vacinas aplicadas por mês. No calendário nacional de vacinação são administradas duas doses da vacina em crian- ças de 12 a 15 meses, com um intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

A recepcionista Juliana Braga, 29 anos, foi uma das que procurou a vacina. “Não tomei esta vacina quando era criança e a empresa estava exigindo a carteira de vacinação em dia”, afirma. “A vacina do sarampo contém um vírus vivo atenuado e é aplicada em duas doses para quem tem menos de 29 anos. Para quem tem mais de 29 anos ou tem problema de imunidade, aplicamos apenas uma dose”, explica a técnica de enfermagem, Emília Cristina Funes.

No estado de São Paulo recomenda-se que as pessoas com mais de 58 anos recebam pelo menos uma dose da vacina. A Secretária da Saúde ainda ressalta que alergia a ovo não contraindica a administração da vacina, mas recomenda que a mesma seja realizada em ambiente hospitalar.

As mulheres vacinadas deverão evitar a gravidez por pelo menos quatro semanas após a aplicação. A vacina é contraindicada para gestantes. (Colaborou: Vinicius LIMA)

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS