Rio Preto: Mutirão contra o Aedes chega a mais de 5.000 imóveis

A Secretaria de Saúde de Rio Preto realizou na manhã deste sábado (19) mutirão contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Pouco menos de 6 mil imóveis foram visitados pelos agentes de saúde segundo estimativas da prefeitura. O mutirão faz parte da campanha estadual “Todos unidos contra o Aedes aegypti”, promovida pela Secretaria de Estado da Saúde.

 
A ação aconteceu nas áreas de abrangência das unidades de saúde Parque da Cidadania, Maria Lúcia, Jaguaré, São Deocleciano, Gonzaga de Campos, Eldorado, Jardim Americano, Vetorazzo, São Francisco, e Vila Toninho, entre 8 e 14 horas.

 

 

Suspensão
Representantes do Comitê de Emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS) se reuniram na última sexta-feira (18) e consideraram que o zika vírus e a microcefalia não são mais emergência de saúde internacional. Para respaldar a decisão, durante o encontro, representantes do Brasil, Tailândia e Estados Unidos forneceram informações ao Comitê de Emergência acerca da microcefalia, Síndrome de Guilain-Barré e outros distúrbios neurológicos associadas às infecções pelo zika vírus.

 

Morte de macaco alerta sobre febre amarela

A morte de um macaco suspeito de estar infectado com febre amarela no último domingo, dia 13, em uma clínica veterinária particular, localizada na região movimentou os Agentes de Saúde da Prefeitura de Rio Preto, que realizaram um bloqueio para retiradas de potenciais criadouros de mosquitos e nebulização com inseticida em residências do Parque Industrial, na última sexta-feira (18).

 
A medida envolveu um raio de nove quadras ao redor da clínica que atendeu o animal, que foi trazido de Catanduva pelo dono de uma propriedade rural.
Foi coletada amostra dasvísceras do animal, que foram e enviadas para análise ao Instituto Adolfo Lutz. O resultado deve sair nos próximos dias. Além disso, os moradores próximos ao local também foram vacinados contra febre amarela.

Atenção

Nas casas em que os agentes não conseguiram localizar os moradores, foi deixada notificação para que eles compareçam à unidade de saúde mais próxima a fim de atualizar o calendário de vacinação.

Outra recomendação é que se algum morador próximo à clínica apresentar febre, dor no corpo, dor de cabeça coloração amarelada na pele e nos olhos, deve procurar atendimento médico o mais breve possível.

Na região, são investigadas pelo menos 40 mortes de macacos pela doença. Quatro já foram confirmadas em Rio Preto, Ibirá, Potirendaba e Pindorama.

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS