Rio Preto: Motoristas protestam contra projeto que ameaça a atuação da Uber

200 motoristas do aplicativo Uber foram às ruas, na manhã desta segunda-feira (30), em Rio Preto, protestar contra o projeto de lei da Câmara dos Deputados PLC 28/ 2017 que tem o objetivo de regulamentar o serviço do transporte particular por meio do uso de aplicativo.

A votação que aconteceu  na última terça-feira (24), mexeu com o humor dos motoristas que não querem a mudança.  Os senadores aprovaram a urgência na votação da proposta e com meta de que o assunto seja novamente discutido nesta terça-feira (31). Com a aprovação o trabalho dos motoristas pode ser dificultado, pois terão mais exigências no aplicativo do Uber. Além disso, a outra versão questionada é sobre a classificação do serviço ser considerado privado tirando a necessidade de autorização dos municípios.

A situação mexerá com os ubers de todo o país e por não saber qual será a decisão dos parlamentares, os profissionais rio-pretenses reivindicaram por meio de uma carreata com o grito pela não aprovação da PLC 28.

“Todos juntos somos mais fortes, não é uma luta só nossa dos motoristas da Uber e sim de cada passageiro por um preço justo e de qualidade. Eles querem fazer de nós placas vermelhas como táxi, cobrar alguns impostos, então isto vai dificultar o trabalho e também as tarifas e taxas serão maiores, então nosso preço será igual a táxi, nos tornaremos motoristas de táxi e nossa intenção não é esta, nós somo motoristas particulares”, conta a organizadora da passeata, a motorista Aline Nera, 31 anos.

Os profissionais marcaram o ponto de encontro no Centro Regional de Eventos e percorreram pelas avenidas José Munia, Alberto Andaló, Bady Bassitt, marginal Arthur Nonato e encerraram na Centro Regional com o grito “ Ubers unidos jamais serão vencidos”.

Henrique Oliveira Moscateli, de 28 anos, é motorista de Uber há oito meses e participou do protesto contra o projeto PLC 28. “A gente é contra porque eles querem colocar placa vermelha nos carros e se for aprovado muito pai de família vai ficar desempregado, porque na nossa região tem mais de 2,3 mil ubers trabalhando e não vai ser prejudicado só os ubers, mas os clientes também”, conta.

A Polícia Militar acompanhou a concentração dos motoristas, durante todo o trajeto nas avenidas os militares seguiram com o percurso do protesto. “As equipes chegaram às 7h30 aqui no Centro Regional para acompanhar a manifestação e manter a ordem. Nossas equipes vão acompanhar todo o percurso”, conta o 1° Tenente Rafael Alvarenga da Polícia Militar.

Por Mariane Dias

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS