Rio Preto: Menor de 14 anos é raptada durante festa de Réveillon na represa

Uma jovem de 14 anos viveu momento de pânico, durante a festa de Ano Novo, na represa municipal, em Rio Preto.

A adolescente foi à represa acompanhar a tradicional queima de fogos com os pais. Durante a festa, às 23h40, a menor disse aos pais que iria ao banheiro. “Era aqueles banheiros químicos, tinham vários destes pelo local, passou um tempo ela não voltou, com isso fomos procurá-la em todos os banheiros e não a encontramos. Conforme o tempo de busca e nada dela aparecer comunicamos aos policiais”, conta a mãe da adolescente, A.C.N.R.

A menor foi entregue aos pais por duas mulheres que entraram em contato e marcaram um lugar para se encontrarem, às 4h30, da segunda-feira (1). “A mulher ligou no meu celular dizendo que estava com a minha filha e que a levou para casa dela porque estava muito bêbada, que em um momento estava dançando sem roupa no palco do show e depois havia encontrado ela caída próximo ao banheiro”, afirma a mãe.

As suspeitas levaram a jovem até uma casa, próximo a avenida Dr. Cenobelino de Barros Serra. “Na ligação eu falei que iria até a casa, mas elas pediram pra eu ir até os correios que fica perto, então quando eu cheguei lá, passaram–se alguns minutos, elas levaram a minha filha carregada pelos braços, ela estava muito machucada, suja e visivelmente tinham dado algo pra ela bebida alcoólica ou drogas. Minha filha nunca namorou, nunca saiu de casa, sempre ficou acompanhada de mim e do pai”, lamenta a mãe.

O celular, relógio e R$ 70 em espécie foram roubados da vítima. A mãe questionou as mulheres e elas disseram que não sabiam dos objetos e que teriam apenas ajudado a menor. “ Se elas queriam realmente ajudar, não entendi o porquê delas não terem ligado antes no meu celular, esperaram horas para entrar em contato comigo”, afirma.

A menor foi levada para casa pelos pais e durante a tarde de segunda-feira, o caso foi registrado na Polícia Civil. “O delegado quer entender sobre a ação destas mulheres, eram mãe e filha. A todo o momento elas conversavam muito, em uma das ligações eu ouvi minha filha querendo falar comigo e uma delas não deixou”, lamenta a mãe.

O delegado solicitou exames do IML para a vítima. A menor foi encaminhada para ser examinada no Hospital da Criança e Maternidade (HCM) para averiguar se houve violência sexual.

Em breve mais informações.

Por Mariane Dias

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS