Rio Preto: Justiça aumenta para sete anos a prisão de acusados por latrocínio contra comerciante de carros

A pedido da Promotoria a juíza da 4º Vara Criminal aumentou de dois para sete anos de prisão e multa contra uma dupla condenada por latrocínio tentado, roubo seguido de morte não consumada a um empresário, dono de uma loja de carros na avenida Bady Bassitt em Rio Preto. O crime foi a luz do dia 12 de fevereiro de 2016. A vítima rendida disse que não tinha mais dinheiro mesmo assim acabou recebendo um tiro no pescoço, foi socorrida e não morreu.

Informou o TJ (Tribunal de Justiça) que houve erros na dosagem da pena que havia sentenciado os réus Anísio Pedro Gonçalves Filho e Victor Hugo Barbosa da Silva Santos, “Verifica-se a existência da alegada contradição entre o reconhecimento de terem os réus consumado o delito de roubo e tentado a morte da vítima justamente para assegurar a subtração, com a pena fixada”, afirmou a magistrada Maria Letícia Pozzi Buassi.

O crime aconteceu dentro da concessionária quando o empresário estava conversando com o primo na porta do estabelecimento e também foi ameaçado por volta das 13h30.

Ação foi registrada pelo circuito interno de segurança do prédio por meio das imagens os investigadores da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), encarregada pelo Inquérito. Pedro e Hugo desde a pratica do delito estão recolhidos em unidades do sistema prisional paulista e a nova decisão é de primeira instância.

DA REPORTAGEM:

Colaborou: Guilherme Ramos, às 15h15.