Rio Preto ganha casa de acolhimento na Redentora para pacientes carentes

A Casa de Acolhimento ‘Thales Carvalho Zacharias’ é um espaço para acolher pacientes e familiares, sem recursos financeiros ou mais necessitados, enquanto o doente está em tratamento no Hospital de Base (HB) ou no Hospital da Criança e Maternidade (HCM) de São José do Rio Preto. A capacidade máxima diária de hospedagem é de até 35 pessoas e o atendimento é gratuito.

A Casa conta com 28 leitos para pernoite, refeições, lavanderia e atividades, como aulas de artesanato e música, para preencher o tempo livre do acompanhante. A acomodação entra em funcionamento a partir desta quinta-feira, dia 29. O local será mantido por doações.
Segundo Rita Zeinum, presidente e fundadora da Associação Operação Alegria, responsável pela prestação do serviço, a proposta é fornecer um ambiente aconchegante e agradável.

“A sensação que queremos que a pessoa tenha é que ela possa se sentir em casa, dando suporte durante o período de fragilidade do tratamento médico e aliviando as dificuldades de se estar longe do lar”, explica.

De acordo com informações da Assessoria de Imprensa do Hospital de Base, a Fundação Faculdade Regional de Medicina (Funfarme) atende 146.467 pacientes no ano, sendo 37.934 internações e 43.328 cirurgias realizadas no ano. Os pacientes atendidos pertencem à Divisão Regional de Saúde (DRS) da área 15, que compreende 102 municípios da região.

A triagem e encaminhamento para a Casa de Acolhimento será feita pelo Departamento de Assistência Social do HB e HCM. Os pré-requisitos são: ser pacientes do SUS e de outra cidade.

Os hóspedes serão indicados por assistentes sociais, entre pacientes em tratamento médico, que não precisam ficar internados; familiares durante o período em que os doentes são submetidos a cirurgias ou outros procedimentos no complexo HB/ HCM, que demandam internação ou tempo de estadia prolongada no município, além de pessoas à espera de ambulância para retornarem às suas cidades.

A Casa de Acolhimento surgiu diante da necessidade dos pacientes que residem em outro município. “Trabalho há seis anos como voluntária e percebi que familiares dos pacientes não tinham onde lavar roupa quando tinham que permanecer por muito tempo no hospital e também quando o paciente vai para UTI, o acompanhante perde o leito e não tem pra onde ir. O ano passado por intermédio de uma pessoa conhecida comentou com o empresário Wellington sobre o meu sonho, posteriormente ele entrou em contato comigo e disse que queria contribuir com esse sonho. Ele comprou, reformou e mobiliou o imóvel, então juntamos a ONG Operação Alegria com a Casa de Acolhimento Thales Carvalho Zacharias. Ao lado da casa ele também comprou um terreno e o ano que vem vamos conseguir construir mais leitos e ampliar o atendimento”, conta.

O imóvel onde está instalada a Casa foi cedido, reformado e equipado por Wellington José Zacharias, diretor da Kodilar Alimentos. O nome ‘Casa de Acolhimento Thales Carvalho Zacharias’ é uma homenagem póstuma ao seu filho. No local também vai funcionar a sede da Associação Operação Alegria. A Casa de Acolhimento está localizada próxima ao hospital, na rua Dr. Raul Silva, 1523, no bairro Nova Redentora.

Associação Operação Alegria

A Associação Operação Alegria reúne mais de 100 voluntários que visitam crianças e adultos internados ou em tratamento regular nos hospitais da cidade e até da região, levando alegria por meio de histórias da literatura infantil, parábolas da sabedoria universal, músicas e atividades recreativas e ainda fornece roupas e artigos de higiene às pessoas carentes.

A instituição iniciou suas atividades de voluntariado em 2013 e em 8 de fevereiro de 2018 foi registrada e reconhecida como entidade de utilidade pública municipal pela Lei nº 13.182, de 10/04/19.

Por Sue PETEK

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS