Rio Preto é Top 10 em índice de Saneamento Básico no Brasil

Semae investe mais de R$ 120 milhões em infraestrutura

De acordo com um novo ranking divulgado pelo Instituto Trata Brasil, São José do Rio Preto aparece em 7º lugar entre as 100 maiores cidades do Brasil, entre os municípios de melhor qualidade no saneamento básico. No ranking anterior a cidade aparecia na nona posição. Esse posicionamento foi feito com base nos dados do Ministério do Desenvolvimento Regional, pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) – ano base 2017 – a cidade de Franca aparece em primeiro lugar.

O superintendente do Semae, Nicanor Batista Júnior, comemorou o feito e disse que “essa posição aumenta a responsabilidade da autarquia”.

“Os investimentos continuarão dentro de um planejamento responsável e com tarifas adequadas. A nossa meta é atingir a universalização na distribuição da água tratada e do esgoto tratado, levando saneamento para os bairros em fase regularização. Depois dos investimentos em obras, o Semae vai priorizar o investimento na manutenção da rede, combatendo as perdas e aprimorando o atendimento ao usuário”, declarou Nicanor.

Em Rio Preto, as perdas da água produzida pelo Semae são da ordem de 27%, de acordo com informações da prefeitura e do Trata Brasil.

“O Semae tem um Programa de Redução de Perdas para diminuir de 27% para 20% a perda física e comercial, nos próximos anos. A autarquia tem atuado na substituição de ramais, que hoje são em torno de 160 mil. Também foram intensificadas as ações educativas sobre o uso racional da água”, destacou a Administração.

Para melhorar esses índices, atualmente o Semae investe R$ 120 milhões em obras que resultam do planejamento feito para garantir água de qualidade e esgoto tratado, como informou a assessoria do Executivo.

“Entre as obras em andamento está a ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). A estação passará a ter capacidade para atender 600 mi habitantes. Atualmente, a ETE opera em três módulos com capacidade para atender 450 mil pessoas”, enfatizou a Prefeitura.

Ainda segundo as informações da prefeitura, um quarto módulo de tratamento de esgoto, composto por um reator anaeróbico, um aeróbico e um decantador, está em construção que servirá para ampliar os números. “A capacidade de tratamento da ETE também será beneficiada, de 1.005 litros por segundo para 1.340 litros por segundo”, frisou.

Nicanor afirmou que com a obra os rio-pretenses terão esgoto tratado até 2030. “O Semae trata nessa estação mais de 95% do esgoto coletado em Rio Preto. Com a ampliação, poderemos garantir o atendimento de uma população de até 600 mil pessoas. Isso provavelmente será suficiente para atender a cidade até 2030”, concluiu.

Para informações mais detalhadas, acesse www.dhojeinterior.com.br.

Por Ygor Andrade

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS