Rio Preto é 11ª cidade que mais gera emprego no Brasil

Positivo - Número total de empregos com carteira assinada é de 132.461

Segundo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério Público e do Trabalho, Rio Preto tem 132.461 vagas de emprego formalizadas; números vão contra a pesquisa divulgada pelo IBGE, ontem, que aponta 12,7 milhões de brasileiros desempregados.

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho e Emprego, de janeiro a dezembro de 2017, Rio Preto admitiu 57.186 trabalhadores e desligou 55.066, havendo saldo de 2.120 vagas.

Dentre os 5.660 municípios analisados, Rio Preto foi o 11º município que mais gerou empregos no Brasil e o terceiro na abertura de vagas no Estado de São Paulo, atrás apenas de Matão (4.203) e Bebedouro (2.470). Ao todo, a cidade tem 132.461 vagas de empregos formalizadas.

Para o economista Raphael Tavares Mantovani, a tendência é que o crescimento de vagas aumente com o decorrer do ano. “Para a nossa cidade e também para a região, a questão é um pouco mais complexa, mas que tende a ser favorecida nesse ano, porque Rio Preto é muito forte na prestação de serviços e, principalmente, no comércio. Com a economia dando sinais de melhoria e com o PIB crescendo aproximadamente 3 a 3,5% em 2018, o setor de serviço tende a ir muito bem, porque conforme as pessoas passam a ter menos medo de perder o emprego e, consequentemente, no mínimo manter a sua renda, a expectativa é que essas pessoas passem a consumir mais produtos e serviços. Então, a cidade como um todo tende a ganhar, porque ela é dependente da questão comercial”, explicou Mantovani.

Por outro lado, se Rio Preto registra bons números de carteiras assinadas nas áreas de Serviço, Comércio e Indústria de Transformação, com saldos positivos de 2.564, 275 e 141, respectivamente, de vagas em 2017, do outro, o desemprego ainda preocupa os rio-pretenses, que fazem parte dos dados divulgados na última quarta-feira (28), pelo IBGE, que mostra que a taxa de desemprego ficou em 12,2% no trimestre encerrado em janeiro, o que representa 12,7 milhões de pessoas desocupadas, como é o caso de Leonardo Cristiano Faria, 30 anos.

“Como trabalhei somente em uma área, quando vou procurar emprego agora as empresas perguntam se tenho alguma experiência no setor. Quando digo que não, eles agradecem, dizem que vão retornar a ligação, mas não retornam”, disse o rapaz, afirmando que a maior dificuldade para voltar ao mercado de trabalho é a falta de experiência, além do baixo salário oferecido pelas empresas. “Antes eu ganhava R$ 2,5 mil, agora, o máximo que oferecem é R$ 1,2 mil mais uma cesta básica”, concluiu.
ALTERNATIVA

Segundo a Secretaria do Trabalho de Rio Preto, uma opção para Leonardo Cristiano Faria e outros tantos rio-pretenses retornarem ao mercado de trabalho pode ser através do Balcão de Empregos, que registrou cadastro de 20.788 currículos em 2017. Ao todo foram disponibilizadas 3.540 vagas, sendo preenchidas 1.802 (50,90%).

O serviço do Balcão de Empregos é gratuito e também está disponível na internet através do site www.riopreto.sp.gov.br/balcaoempregos.

 

Por Marcelo SCHAFFAUSER

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS