Rio Preto confirma cinco casos de sarampo

Livre do sarampo há 20 anos, Rio Preto confirmou nesta quarta-feira (7) cinco casos positivos da doença. Os números foram divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde, através do site oficial da pasta.

Os surtos em Rio Preto, de acordo com a gerente da Vigilância Epidemiológica da cidade, Andréia Negri, são isolados e foram registrados em uma escola de educação infantil. Todas as vítimas são menores de um ano de idade, sem vacinação prévia por não terem a idade mínima da rotina, que é aos 12 meses. Estes casos tiveram os exames iniciais positivos no Instituto Adolfo Lutz e foram enviados à Fiocruz, que é o laboratório de referência nacional para análise genômica.

Dhoje Interior

O primeiro caso do surto foi considerado importado de uma criança que esteve em viagem à Europa e apresentou início dos sintomas em 29 de junho. Os demais casos são considerados secundários em virtude de serem da mesma sala de aula do caso inicial, lembrando que o sarampo é transmitido seis dias antes de a criança apresentar os sintomas e até quatro dias após os mesmos.

“Por conta das notificações, Rio Preto realizou todas as medidas de controle recomendadas pelo Ministério da Saúde e Centro de Vigilância Epidemiológica de São Paulo, que incluem o afastamento/isolamento do caso suspeito e a vacinação dos contatos próximos”, frisa Andréia.

Ela acrescenta que “em se tratando de um surto provável de sarampo, a vacinação na escola foi ampliada para todas as crianças e profissionais. Avaliamos que as medidas implementadas foram eficazes, visto que não ocorreram novos casos em outras salas de aula da escola e também nos contatos domiciliares/ sociais”.

De acordo com a gerente, considerando a recente confirmação do surto importado, medidas complementares estão sendo desencadeadas para prevenção de novos casos, tais como ampliar a vacinação para crianças de 6 a 11 meses, sendo que as demais doses de sarampo previstas em calendário aos 12 e 15 meses deverão ser administradas conforme rotina; e vacinação de varredura: com imunização indiscriminada de pessoas que residam ou trabalhem nas quadras no entorno dos domicílios e escola dos casos confirmados nos bairros: Boa Vista, Parque Industrial, Jardim Congonhas, Costa do Sol e Solo Sagrado.

“Além disso, também está sendo intensificada a vacinação para todos os moradores nascidos a partir de 1960 sem comprovação de vacinação com o número de doses recomendadas de acordo com a faixa etária, principalmente pessoas que trabalhem em locais com grande fluxo de pessoas e coletivos: profissionais de saúde da rede pública e privada, educação, serviços de turismo, institucionalizados e outros”, complementa Andréia.

Segundo ela, será realizado um grande evento para profissionais de saúde de Rio Preto e região no dia 3 de setembro, no Centro de Convenções da Famerp, com o objetivo de garantir diagnóstico precoce e consequentemente ações de controle, como bloqueios oportunos.

Andréia destaca que para a efetivação das ações supracitadas, a Secretaria de Saúde aguarda a liberação inicialmente de 15 mil doses das 30 mil doses de vacina tríplice viral solicitadas à Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo.

Ao todo, em 2019, já são 967 casos confirmados da doença em todo o Estado de São Paulo.

Além de Rio Preto, Estrela D´Oeste, Fernandópolis e Jales possuem casos em investigação.

Por Jaqueline BARROS