Rio Preto: Com epidemia de dengue, Saúde fará mutirão aos sábados

Equipes visitam residências procurando focos do mosquito e orientando. Divulgação SMCS

Após confirmação da segunda morte por dengue tipo 2 em Rio Preto, a Secretaria da Saúde pretende ampliar a força-tarefa contra o mosquito Aedes aegypti. As equipes que, periodicamente, passam nas casas procurando focos do mosquito vão estender a ação de combate até sábado. A ação ainda não tem data definida, porém, está no plano das equipes com início em fevereiro.
A segunda morte foi confirmada na quinta-feira (7), pela Secretaria da Saúde, quando a cidade deixou de viver um surto e passou a enfrentar epidemia da doença. Atualmente, são 453 casos confirmados e outros 1.624 em investigação. O município já atingiu o índice de 100 casos para cada 100 mil habitantes.
Além do reforço dos agentes de saúde, a população precisa auxiliar no combate. Segundo dados da Saúde, em 2018 foram registradas 42 solicitações de abertura de processos judiciais para manejo ambiental em imóveis acumuladores de possíveis criadouras do mosquito Aedes aegypti. Além disso, foram registradas 42 solicitações de abertura de processos administrativos (autuação) junto à Vigilância Sanitária. “Os locais com criadouros são identificados pelos agentes de saúde, porém, a população tem o papel fundamental de denunciar as irregularidades, inclusive a denúncia pode ser feita de forma anônima pelo 08007705870”, explicou o gerente do Departamento de Vigilância Ambiental, Abner Henrique Alves.
Os imóveis abandonados e com objetos acumulados que possam proliferar o mosquito podem ser autuados. “Após denúncia, as equipes vão até o local e notificam, além de dar um prazo para limpeza do local. Em caso de reincidência, a pessoa é multada e os valores variam de R$ 1.300 mil até R$ 10 mil”, finalizou o gerente.

MORTES

O Instituto Adolfo Lutz confirmou o óbito por dengue, ocorrido no dia 31 de janeiro deste ano, em um homem de 66 anos, morador na região do Jardim Americano. A Secretaria de Saúde confirmou também a morte por dengue de um homem de 38 anos, que residia na Vila Elvira.

Por Mariane DIAS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS