Rio Preto: Centro de Hidratação da região Norte inicia atendimentos

Centro de Hidratação terá turno de 24 horas, com dois médicos, duas enfermeiras e seis técnicos de enfermagem

O Centro de Hidratação da região Norte de Rio Preto iniciou os atendimentos, na manhã desta segunda-feira (18), logo nas primeiras horas já havia no local quatro pacientes.  Para proporcionar um tratamento especifico aos pacientes com dengue, a Secretária da Saúde criou o Centro de Hidratação. “O centro foi criado, principalmente, para desafogar as Upas que estão já superlotadas e com a epidemia de dengue o aumento vai ser geométrico”, explicou o assessor de gabinete da Secretaria da Saúde, André Luciano Baitello.

O Centro de Hidratação terá turno de 24 horas, com dois médicos, duas enfermeiras e seis técnicos de enfermagem. “Hoje temos 55 leitos, mas serão colocadas poltronas e o número de leitos será 60. A média, portanto, é um técnico para cada dez leitos. Estamos com a equipe preparada e com uma técnica de assistência o que agiliza o processo. Isso tudo é para diminuir o número de mortes”, afirma Baitello.

“O problema da dengue é esse acompanhamento, ou seja, são muitos exames, muita gente chegando ao mesmo tempo, então o Centro de Hidratação desafoga quem mais atende que são as Upas e Ubss”, conta o assessor.

Baitello explicou ainda que as crianças com dengues não serão encaminhadas para o Centro de Hidratação, “As crianças serão mantidas nas Upas”.

Segundo o médico, a dengue é classifica em quatro graus de gravidade. “O grau A que é pessoa sem comorbidades, recebe a classificação quando a pessoa apresenta alguma doença, por exemplo, diabetes, o grau C é o doente que tem sinais de alarme, que são dores abdominais, a pressão cai, o paciente fica letárgico, ou seja, fica inabilitado de fazer quase tudo. O grau D é o doente que está com a pressão muito baixa, não está urinando, é um grau grave e precisa ir para UTI. Virá para o Centro de Hidratação, principalmente, o doente com grau B, o doente grave fica na UPA e o doente muito grave tem que ser encaminhado para hospitais”, afirma Baitello.

“Chegou o paciente, a enfermeira acolhe faz o atendimento inicial, aferi a pressão, frequência cardíaca, vê se está hidratado, quais os sintomas e já faz uma avaliação inicial. Em seguida o médico faz a avaliação para certificar que não é outra doença que tenha sintomas parecidos com o da dengue e faz a avaliação da gravidade para iniciar o tratamento”, conta Baitello.

Segundo André Baitello, a permanência do paciente deverá ser, em média, dois dias, no Centro de Hidratação. “Esta unidade funciona 24 horas por dia, aqui o paciente deve ficar até 48 horas, se ele melhorar antes dos dois dias, o médico tem os critérios de alta para liberar o paciente, em caso de piora o paciente será encaminhado para o hospital. A agente orienta o paciente a passar primeiro pela UBS ou UPA, não é para a população vir direto no Centro de Hidratação”.

Segundo o médico os casos estão mais severos. “A gente percebe que os casos estão mais graves. O dengue tipo 2 é o que está mais circulando na região. O centro de Hidratação vai ajudar bastante nós atendermos  bem a população nesta situação”, afirma o médico assessor da Secretária Municipal André Luciano Baitello.

MORTE REGIÃO

Um homem, de 60 anos, de José Bonifácio morreu com suspeita de dengue, na semana passada. A vítima estava internada no Hospital de Base de Rio Preto.

Por Mariane DIAS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS