Rio Preto: Católicos iniciam período de reflexão nesta quarta-feira

A igreja Católica começa nesta quarta-feira de cinzas uma programação especial. A data marca o início da Quaresma. O período é um dos mais importantes do ano para os católicos. Um momento de reflexão, jejum, silêncio, penitência e orações.

“É um tempo de preparação para a páscoa, a grande festa dos cristãos, a ressureição de Jesus e a vitória dele. Por isso, nos preparamos para o momento que celebra também a nossa salvação”, explica o Padre Silvio Roberto dos Santos, da Paróquia Menino Jesus de Praga.

O sacerdote esclarece ainda que o principal jejum para os fiéis deve ser o de negatividade. “Palavras ruins, descontentamento, raiva e pessimismo são as verdadeiras restrições do período”.

Uma série de atividades está sendo preparada para os 40 dias. Entre elas, está a procissão da penitência, todas às sextas-feiras, às 5h30 da manhã, acompanhado de uma missa. Além dos mutirões de confissão, em que os padres reúnem-se cada dia em uma paróquia para ouvir a população cristã. A programação completa pode ser acessada no site do bispado.

Junto à celebração da Quarta-Feira de Cinzas será realizado o lançamento da Campanha da Fraternidade de 2018. O tema da não violência é pauta da ação que preza pela caridade.

CRESCIMENTO NO MERCADO DE PEIXES

O período da Quaresma é tradicionalmente o de maior consumo de peixes, aquecendo o mercado da piscicultura na região. O noroeste paulista espera aumentar em até 40% a produção dos animais nesta época, segundo os dados da Associação de Piscicultura do Estado de São Paulo (Peixe SP).

De acordo com o presidente da Peixe SP e proprietário da aquicultura Peixe Vivo, Emerson Esteves, é necessário planejamento. “Realizamos um povoamento anterior para chegar à nossa melhor época com uma oferta que atenda toda a demanda”, afirma.

O Brasil está na 15ª posição na criação de peixes em cativeiro. A atividade movimenta R$4,3 bilhões e gera 1 milhão de empregos diretos e indiretos. Na região, são cerca de três mil trabalhadores diretos, com expectativa que o número chegue a 18 mil empregados.

 

Por Marina LACERDA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS