Rio Preto: Campanha solidária recebe doação de alimentos

COORDENADORA NACIONAL - Da coleta, Glorinha Guerreiro. Foto Guilherme BATISTA

A 12ª edição do Dia Nacional da Coleta de Alimentos acontece amanhã, e pelo país 56 cidades e mais de 260 mercados participam da ação. Em Rio Preto, nove mercados aderiram à campanha, que é promovida pela Companhia das Obras desde 2006. Os alimentos coletados serão direcionados aos Bancos de Alimentos conveniados nas cidades participantes. Somente em 2016, 144 toneladas de alimentos foram doadas.
Durante o dia, cerca de 150 voluntários estarão distribuídos entre os mercados: Carrefour Rodovia, Carrefour Riopreto Shopping, Walmart, Tridico Parque Industrial, Tridico Solo Sagrado, Proença Anísio Haddad, Proença Vetorasso, Proença Pedro Amaral e Tonin coletando os donativos. Ano passado, somente por Rio Preto foram arrecadados 4,6 mil quilos de alimentos, que são destinados ao projeto Mesa Brasil, do Sesc.
De acordo com a coordenadora nacional da coleta, Glorinha Guerreiro, a expectativa é que para este ano o volume de alimentos doados supere 2016. “Esse ano a gente tem uma expectativa de aumentar essa arrecadação ainda mais para que todos possam ser ajudados nessa ação. O objetivo da coleta é convidar as pessoas ao trabalho voluntário uma vez ao ano, para que as pessoas possam fazer o trabalho voluntariado e arrecadar alimentos para quem mais precisa”, disse.
Os alimentos que podem ser doados são: achocolatado, açúcar, leite em pó, arroz, feijão, óleo, macarrão, farinhas de milho, trigo e mandioca, e enlatados como milho, ervilha, seleta, sardinha e molho de tomate. “Nós fazemos a doação total desses alimentos para o Mesa Brasil do SESC que tem mais de 40 entidades cadastradas e a outra parte vai para os vicentinos”, comentou.
Com a campanha cerca de 200 mil pessoas são beneficiadas pelo país. Para o gerente do Tonin Superatacado, um dos participantes da campanha, ele destaca a ação como algo muito importante e ressalta que os clientes aderem e participam, sendo muito positivo. “Esse, se não me engano, já é o segundo ou terceiro ano que a gente participa. A gente vê que é uma ação séria e que realmente vai chegar aonde tem que chegar. A gente procura participar e ajudar as campanhas que vemos que são corretas e tem um fundamento”, concluiu.

Por Priscila CARVALHO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS