Rio Preto: Alunos da rede estadual fazem manifestação a favor da Educação

Foto: Arthur AVILA

Cerca de 100 alunos do 9º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio das escolas estaduais Antônio de Barros Serra (Boa Vista), Professor José Felicio Miziara (Chácara Municipal), Monsenhor Gonçalves (Boa Vista), Darcy Federici Pacheco (Vila Elmaz) e Cardeal Leme (Centro) saíram às ruas na manhã desta segunda-feira (19), em Rio Preto.

A passeata saiu da EE Antônio de Barros Serra, localizada na rua Campos Salles, esquina com a Prudente de Moraes, na Boa Vista, e com cartazes, artifícios sonoros e muita garganta, os estudantes foram caminhando até a sede da Diretoria Regional de Ensino, na avenida da Saudade, na Vila Santa Cruz.

Com um caminhão à frente da multidão, os líderes da União Municipal dos Estudantes Secundaristas de São Paulo (Umes) guiavam os discentes com gritos de guerra como “A Umes somos nós, nossa força, nossa voz” e pediam pressão para o governador Geraldo Alckmin a favor da Educação.

“Nossa ideia principal é a luta por uma Educação de qualidade, mas também estamos reivindicando pelo espaço da quadra coberta da EE Antônio de Barros Serra, que foi demolido há três anos devido à estrutura abalada e mesmo com um abaixo assinado feito no ano passado com 700 assinaturas pedindo seu retorno, o Estado alega que quadra não é prioridade”, explicou o presidente da Umes, Arthur Grigolin, estudante do 3º ano do Ensino Médio da EE, que ressaltou que Educação Física faz parte do currículo.

A ideia para sair às ruas nasceu na sexta-feira (9) e por meio de cartazes e redes sociais, o grupo, liderado pela Umes, conseguiu agrupar os alunos, que foram acompanhados pelas ruas por viaturas e motocicletas da Guarda Municipal e da Polícia Militar.

Em frente ao prédio da Diretoria de Ensino, sendo assistidos pela dirigente responsável, os alunos gritaram, pediram melhorias, cantaram o hino nacional e aplaudiram a Educação de qualidade. “Nós entregamos, por meio da dirigente, uma carta ao governador e vamos esperar uma nova resposta”, disse o presidente, que pretende voltar às ruas com mais alunos no próximo mês.

Os alunos protestaram, ainda, contra os auxílios-moradias recebidos por juízes e os salários e vantagens dados aos deputados. “Ficamos satisfeitos com os resultados e foi um movimento pacífico, sem violência, brigas e também sem partidarismo político”, finalizou o jovem.

A dirigente regional de Ensino de Rio Preto, Maria Silvia Zangrando Nakaoski, disse ter recebido as reivindicações dos alunos e garantiu que dará andamento a reivindicação feita pelos manifestantes. Um orçamento com o valor para a realização da obra está sendo feito. A E.E recebeu nos últimos anos R$ 350 mil para reformas.

Umes

A União Municipal dos Estudantes Secundaristas de São Paulo (Umes) é uma entidade que representa cerca de 4 milhões de estudantes do ensino fundamental e médio, cursos supletivos, pré-vestibulares e cursos de educação profissional níveis básico e técnico, no país. Fundada no dia 11 de novembro de 1984, o grupo tem como razão de ser a defesa dos interesses dos estudantes. Ensino público e gratuito de qualidade, democracia e soberania nacional são suas bandeiras permanentes. Para desenvolver a mobilização estudantil, a UMES atua em conjunto com os grêmios (entidades representativas dos estudantes de cada escola).

Em Rio Preto, a Umes havia sido desativada em 2013, por falta de interesse por parte dos alunos. Em outubro de 2017, Arthur Grigolin e parceiros de grêmios escolares se reuniram e lançaram um congresso, retornando as atividades do grupo.

Confira as imagens da manifestação:

 

Da REPORTAGEM
(Colaborou Arthur AVILA)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS