Rio Preto: Adolescente revela que era estuprada pelo padrasto

Uma adolescente de 15 anos, moradora da Vila Anchieta, em Rio Preto, denunciou o padrasto, um pintor de 34 anos, de tê-la estuprado, em 2014, quando ela tinha apenas 12 anos. A vítima resolveu contar para a mãe e à polícia após quase quatro anos, motivada por uma reunião de família.

Segundo o boletim de ocorrência, na ocasião, o homem teria começado a perguntar à garota se ela tinha namorado, se já havia beijado e se era virgem, perguntas que a garota não respondeu.

Na época, sua mãe, uma vendedora que hoje tem 32 anos, trabalhava o dia todo em um posto de combustíveis e o padrasto ficava em casa sozinho com a jovem, oportunidade que ele encontrava para fazer ‘carícias’ não desejadas pela adolescente em seu corpo.

Ainda segundo o registro, a garota conta que o homem chegou a passar a língua em sua vagina e que diversas vezes, ela tentou contar à mãe sobre as atitudes do padrasto, no entanto, tinha medo de que a mãe ficasse sozinha e desistia do relato.

Ao completar treze anos, a adolescente conta que o padrasto teria parado com a prática do estupro, mas que o homem nunca a deixou em paz, interferindo, principalmente, eu seu namoro com um adolescente de 18 anos.

A Polícia Civil vai investigar o caso.

Da REPORTAGEM

(Colaborou Arthur AVILA)

 

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS