Rio-pretenses falam sobre o resultado da eleição

Foto Reprodução Google

O resultado da Eleição 2018 foi definido na noite deste último domingo (28). Para a alegria de uns e tristeza de outros, Jair Messias Bolsonaro, de 63 anos, foi eleito o novo presidente do Brasil com 55,13% (57.797.847), enquanto o Fernando Haddad conquistou 44,85% dos votos (47.040.906). Em Rio Preto, o candidato do PSL teve uma aceitação grande, tanto que contabilizou 78,26% dos votos, o que corresponde a 177.175; contra 49.211 (21,74%) do candidato do PT.

A equipe do DHoje foi às ruas nesta segunda-feira (29) para conversar com a população sobre o resultado da eleição. As opiniões são bem divergentes. Alguns rio-pretenses ficaram animados com o resultado, porém outros estão descontentes e sem esperança com o que vai acontecer nos próximos quatro anos. Entre otimistas e céticos, estão aqueles que apesar de tudo aguardam o melhor do candidato eleito.

A aposentada Elsa do Amaral, de 81 anos, mostrou sua indignação com o resultado da eleição. “Tenho 81 anos, mas votei. Eu achei o resultado um lixo para falar a verdade. Eu voto no Senac e o pessoal lá estava horrorizado, pois só sobrou lixo pra gente votar. Eu não queria que esse homem ganhasse [Bolsonaro], pois ele vai pôr uma ditadura no país, um bando de soldado que vem atrás dele. A princípio, a eleição tinha bons candidatos. No primeiro turno, por exemplo, eu votei no Meireles. A minha impressão é péssima. Eu duvido que alguém tenha achado bom”, comenta indignada.

Em contrapartida de Elsa, o educador físico Luis Fernando Paiato, de 30 anos, ficou muito contente com o resultado. Comparou a emoção do resultado com a vitória do seu time de futebol. “Eu fiquei feliz ontem, me senti renovado. Eu vibrei com se o meu time tivesse ganhado. Acredito que ele não vai ser o salvador da pátria, mas é uma esperança para nós brasileiros. Acho muito válido ter alguma coisa diferente. Estou confiante em uma mudança”, comenta contente.

Já a técnica de enfermagem Sônia Santos, de 55 anos, comentou que as eleições deste ano foram bem conturbadas e que, apesar de tudo, espera o melhor. “Eu achei uma eleição bastante competitiva, com dois candidatos, que a gente ficou em dúvida do que seria realmente o melhor para nós. Mas, enfim, foi eleito um candidato, com certeza, vamos esperar o melhor dele. Só aguardando para saber realmente o que foi melhor para nós. Independentemente se votamos certo ou errado, agora precisamos esperar o melhor”, diz. Conteúdo especial: Leandro BRITO

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS