Restrições em período de pandemia afastam multidão de Missa de São José

No aniversário de 168 anos de Rio Preto, as tradicionais missas em homenagem a São José, padroeiro da cidade, foram realizadas de maneira diferente nesta quinta-feira, 19. Para evitar aglomerações, a celebração foi restrita para 100 pessoas, senhas foram distribuídas para os fiéis que desejavam acompanhar a missa.

A decisão foi tomada após recomendação da Secretaria Municipal de Saúde, para evitar aglomerações de pessoas, como parte da medida de prevenção contra o coronavírus.

Dhoje Interior

A missa realizada às 10h costuma reunir mais de 500 pessoas, mas após a determinação da prefeitura de proibir eventos com mais de 100 pessoas, a Diocese de Rio Preto decidiu realizar a celebração em quatro horários diferentes, todas com distribuição de senhas.

A primeira missa, foi realizada às 8h, a segunda missa às 10h, a terceira às 16h e a última às 19h30. Os fiéis que queriam acompanhar a missa, precisavam chegar meia hora mais cedo, assim eles pegavam a senha que foi usada para controlar o número de pessoas na catedral.

As irmãs Eunice Maria Francisco e Nilce Aparecida Francisco contaram que vem quase todo ano na missa de São José por ele já ter realizado muitas graças para elas. “Sou muito devota de São José. Tenho muita fé nele, venho todo ano”, disse Eunice.

Ela também contou que está mantendo os cuidados para assistir a missa. “A gente procura não ter contato com a pessoa, quando chega a gente passa o álcool em gel também”, acrescentou.

Nilce revelou que faz 10 anos que ela acompanha o padroeiro da cidade, em missas e novenas. “Dei um jeitinho de vir, todo ano eu venho nessa missa. Estamos mantendo distância das pessoas para não ter contato, conversa de longe”, comentou.

Neste ano a celebração das 10h não contou com a cerimônia cívica, com a banda da Polícia Militar e do Tiro de Guerra. Na missa das 16h também não houve procissão. Outro detalhe importante foi que durante a missa não houve saudação da paz para evitar o contato entre pessoas.

O padre Deusdete declarou que essa foi a primeira experiência em seus 33 anos como padre. “A igreja está obedecendo a orientação do Ministério da Saúde, temos três espaços reservados. No momento a medida é de senha, amanhã vamos fazer uma nova reunião para fazer uma avaliação e vamos esperar uma orientação do Ministério da Saúde, prefeito e do governo do estado. A gente ainda não sabe como proceder daqui pra frente”, ressaltou.
O padre também disse que está tentando orientar os fiéis para comungarem espiritualmente. “A igreja em questão da calamidade como essa, tem a orientação que os fiéis podem comungar espiritualmente. Em uma situação como essa, é para comungar espiritualmente até passar essa fase”, finalizou.

 

Por Luciano RAMOS