Rede escolar do SESI-SP volta às aulas na próxima segunda, 27 de janeiro

São Paulo, janeiro de 2020 – As aulas na rede escolar do Serviço Social da Indústria (SESI-SP) iniciam na próxima segunda-feira, 27 de janeiro. Para o ano letivo de 2020, o SESI-SP recebeu 72.479 inscrições, uma média de 6 a 7 candidatos por vaga. Desses, foram 1745 interessados na Educação Infantil; 60433 no Ensino Fundamental I e II; e 10301 no Ensino Médio oferecido na instituição.

Das 9.239 vagas abertas para o Ensino Fundamental I e II, 7.374 foram preenchidas por ingressantes do 1º ano, série que recebeu 42.057 inscrições. Para o Ensino Médio, foram abertas 1.257 vagas.

Em 2020, a rede escolar composta por 144 escolas localizadas em 112 municípios do Estado de São Paulo, vai receber cerca de 95 mil estudantes, entre veteranos e novos alunos. Já em seu quadro docente, o SESI-SP contará com cerca de 4 mil professores.

Aulas de Programação e Robótica estão entre as novidades da grade escolar

A inclusão de aulas de programação e robótica para todos os estudantes é uma das apostas da rede para 2020. Isso porquê, alinhada a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a instituição quer intensificar o ensino por meio de práticas inovadoras, equitativas e tecnológicas.

Distribuídas em diferentes séries, também vão compor o currículo Práticas Filosóficas, a fim de estimular o diálogo, o debate, o autoconhecimento e a interação; Práticas Sociais e Culturais, numa abordagem de aprendizagem baseada em projetos (Project-Based Learning – PBL); e Cultura Corporal Esportiva que, por meio dos esportes e de seus valores, visa ampliar e estimular as vivências corporais desses estudantes.

SESI-SP implanta Desenho Universal para Aprendizagem e o Desenvolvimento das Competências Socioemocionais

Se em 2019 a rede escolar atuou na implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) – determinante do conjunto de aprendizagens essenciais a que todos os estudantes têm direito-, este ano a instituição avança: projeta e caminha para a concretização de uma escola em que os estudantes tenham a oportunidade de construir os próprios conhecimentos, possam expor seu pensamento crítico e reflexivo, tenham abertura para reflexão, diálogo e aprendizado sobre suas próprias emoções; um lugar em que os professores mediam saberes, e atuam em parceria com os demais educadores, a fim de dar sentido ao ensino e aprendizagem de seus alunos.

Alinhada à proposta do SESI-SP de garantir a formação integral dos alunos, considerando a diversidade, com a implantação do Desenho Universal para Aprendizagem, a instituição prevê desenvolver as potencialidades dos estudantes a partir de estratégias didáticas que incentivem a motivação, autonomia e a comunicação eficiente para todos.

As Competências Socioemocionais também serão incorporadas no currículo escolar e serão trabalhadas juntamente com as habilidades cognitivas e intelectuais já previstas. Por exemplo, em Matemática, instigadas pela necessidade da resolução de problemas; em Filosofia, desafiando os alunos a desenvolverem a capacidade de argumentação; em Língua Portuguesa, a partir de textos que possibilitem momentos de escuta, respeito e outros elementos capazes de auxiliá-los a entender questões como o bullying, preconceitos; e por meio de outras conexões que estimulem o aluno no desenvolvimento de competências como protagonismo, autonomia, responsabilidade e criatividade.

Da Redação 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS