SAÚDE E SEXUALIDADE: Quem faz sexo depois de ser mãe?, indaga Sabrina Sato – Amor, Maternidade e Sexualidade

O período pós-parto é marcado por alterações físicas e mentais. Os hormônios femininos ainda estão confusos e o corpo, aos poucos, vai tentando se recuperar das grandes mudanças pelas quais passou ao longo da gestação.

A rotina e as prioridades também mudam. A mamãe só pensa em cuidar do bebê, enquanto o parceiro deseja retornar à vida sexual o quanto antes. O que fazer diante desse impasse?

Como fica o apetite sexual da mulher depois do parto? A partir de quando o sexo é liberado?

A maternidade, a preocupação com o recém-nascido, a baixa qualidade do sono, a sensação de cansaço, os seios sensíveis e a insatisfação com o próprio corpo são algumas das razões que levam a mulher a ter menos apetite sexual após o parto. A diminuição do apetite sexual vem em decorrência dos hormônios. A baixa produção de estrogênio combinada com a alta produção de prolactina reduzem o desejo sexual na maioria das mulheres.

Além disso a forma em que a mulher pensa em relação ao que é sensual não está de acordo com o que ela está vendo diante do espelho.
Nós pensamos em tudo ao mesmo tempo, mulher consegue mexer a panela, balançar o bebê, fazer exercício de pompoarismo e ainda falar mal do marido no celular com a mãe tudo ao mesmo tempo.

Com essa características de pensar em tudo ao mesmo tempo, ter visão periférica e com conceito imposto pela sociedade do que é belo, as mulheres sentem um peso muito grande e se sabotam muito mais durante este período.

No período pós-parto, a vagina fica menos úmida, o que pode dificultar a penetração e tornar o ato sexual mais dolorido e incômodo.

Isso acontece porque a produção do leite produz o hormônio prolactina, que deixa o órgão sexual feminino no mesmo estado da menopausa, ou seja, menos lubrificado.

Como se não bastasse, há uma expressiva queda no desejo sexual devido à diminuição dos níveis de hormônio feminino e bloqueio do ovário, o que deixa o organismo mais vulnerável a infecções. Esse conjunto de fatores torna recomendável que a retomada ao sexo seja adiada por 40 dias parto cesariano e 60 dias parto normal — mas converse com o seu médico para saber o que é melhor para o seu caso.

O uso de lubrificantes é um grande aliado no combate às dificuldades neste período. Hoje em dia o mercado da cosmetologia sensual cresce muito no Brasil com produtos hipoalergênicos, sem corantes, sem açúcar e com princípios ativos naturais ao exemplo do Orgax, mas conhecido entre as mulheres como viagra feminino.

Composto por Maca Peruana, Paffia, Damiana e Jambu, faz sucesso entre mulheres, pois o uso diário melhora o desejo sexual e hidratação da vulva.
Mas comprem somente estes produtos em estabelecimentos sérios com profissionais qualificados na área da sexualidade.

Não se preocupem. Tenho algumas dicas para apimentar a relação e ajudar passar por este período com mais facilidade.

o Coloque a vida sexual em ordem antes mesmo de engravidar. Isso vai fazer com que a retomada ao sexo seja mais rápida e prazerosa depois do parto;

o Use orgax e pratique o autoconhecimento cursos de dança sensual, de empoderamento e sexualidade ajuda muito.

o Converse abertamente com o parceiro, fale sobre suas mudanças físicas e mentais e não se esqueça de dizer como se sente. Isso é sempre melhor do que ceder a uma relação dolorosa e sem prazer; com muito bom humor e sem vergonha.

o Para evitar o risco de infecções, é importante usar camisinha no período pós-parto; o Recomendo que o casal abuse dos estímulos como a masturbação e o sexo oral. Preliminares nunca são demais; o Como os fatores emocionais são tão determinantes como os fatores físicos, é importante que a mulher se cuide, procure elevar a autoestima e dê um tempo para compreender seu novo corpo; o Ria de si, seja grata e acima de tudo se ame;  o A terapia de casal e terapia sexual podem ser úteis nos casos mais graves.
Mirna Zelioli – Formada em pedagogia e sexóloga em formação e palestrante em vendas. Gestora comercial, sensual coach, empresária do mercado erótico, criadora do projeto SAT (Sexualidade Amor pra Todos), Projeto de Inclusão, projeto CEL (Coragem e Empoderamento e Libertação).

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS