“Quadrilha do Interfone” que furtava na região é presa

Após meses de investigação, a Polícia Civil de Potirendaba conseguiu prender a “Quadrilha do Interfone” que fez diversas vítimas, na região, principalmente em Potirendaba. O bando foi preso em Borborema, na manhã da última segunda-feira (12), mas a informação foi confirmada nesta quinta-feira (15) pela polícia.

De acordo com os policiais, os três suspeitos, L.E.Z., 22 anos, J.V.S.B., 24 anos e D.D.S.S., 27 anos, estava dentro de um VW/Gol prata, com placas de Sertãozinho, que também era utilizado nos crimes. Os ladrões tinham acabado de furtar joias, bebidas, dinheiros e calçados de uma casa na cidade de Tupã quando foram abordados pela Polícia Rodoviária Estadual (PRE), na rodovia. Dentro do veículo, além dos produtos furtados havia ferramentas usadas para arrombar cofres e fechaduras.

Todos foram encaminhados para a delegacia de Borborema, onde confessaram o crime. Agora, a polícia busca encontrar mais integrantes da quadrilha. O último roubo em Potirendaba aconteceu no mês passado. O setor de investigação da Polícia Civil do município conseguiu identificar o veículo com imagens de câmeras próximas a casa da vítima.

Segundo a polícia, os produtos levados da casa de Potirendaba não foram encontrados. O delegado Adriano Nassar trabalha com a hipótese de que os criminosos quando furtam a residência já deve ter um receptador.

Como eles agem?

O trabalho feito pelos criminosos é bem calculado. Eles chegam às residências em um veículo com placas de outras cidades. Um deles, desce, toca o interfone por vários minutos e quando percebe que não tem ninguém no imóvel, eles entram utilizando chaves de fendas para arrombar as portas.

De cara limpas, os bandidos entram e levam tudo que tem de valor, geralmente óculos de marcas, celulares, relógios, perfumes importados, televisores, dinheiro, armas e principalmente joias.

A polícia também trabalha com a hipótese de ter outras quadrilhas agindo da mesma forma. Inclusive, algumas residências de Rio Preto, até mesmo dentro de condomínios luxuosos.

Os outros crimes aconteceram em Uchôa, Ibirá, Birigui entre outros municípios do interior. Provavelmente, a quadrilha estuda o itinerário da vítima antes do assalto, explica a polícia.

Por Franklin Catan

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS