Pupo não consegue coletar assinaturas suficientes para colocar em pauta “Mesa Limpa”

O vereador Renato Pupo (PSD) não conseguiu coletar o número suficientes de assinaturas para colocar a proposta de emenda à Lei Orgânica do Município (LOM) em votação. O vereador precisava de nove assinaturas entre os 17 parlamentares para colocar o projeto em urgência, mas o vereador do PSD obteve seis assinaturas favoráveis. Munícipes presentes na sessão levaram faixas e cartazes a favor do projeto.

A proposta denominada pelo vereador como “Projeto Mesa Limpa”, proíbe a participação de qualquer parlamentar que tiver no ‘currículo’ condenação criminal ou ato de improbidade administrativa em concorrer a eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal. A proposta de Pupo se assemelha a Lei da Ficha Limpa que impede, por exemplo, condenados em segunda instância de disputarem cargos eletivos.

Além do próprio autor da proposta, foram favoráveis ao projeto de emenda o presidente da Câmara Legislativa, Jeans Charles (MDB), Pedro Roberto Gomes (PR), Marco Rillo (PT), João Dornelas (PRB) e Márcia Caldas (PPS).

“Infelizmente não consegui levantar número de assinaturas que precisava. Se fosse para um projeto insignificante não teria dificuldade nenhuma, mas diante de um projeto de tamanha relevância, as pessoas se recusam a assinar. Fiz a minha parte e vou continuar lutando”, afirmou Pupo.

Segundo o vereador, até mesmo com seis assinaturas coletadas, além do parecer favorável da Comissão de Justiça, ele conseguiria protocolar o projeto e trazer em discussão de urgência no plenário. Porém, tanto o vereador Jorge Menezes (PTB) e Rossini Diniz (PR), que estava substituindo Fábio Marcondes (PR) na comissão, não concederam votos a favor da proposta.

Eleição

Na próxima sessão do Legislativo (4 de dezembro), os parlamentares votam os novos cargos da Mesa-Diretora da Câmara e o próximo presidente no biênio 2019-2020.

Três nomes despontam na disputa até o momento, porém, somente dois vereadores confirmaram suas respectivas candidaturas: Pedro Roberto Gomes e Jean Dornelas. O terceiro é o progressista Paulo Pauléra. Mesmo relutante em confirmar seu nome na disputa, o vereador é apontado como pré-candidato à presidência da Casa.

Por Vinícius MAIA

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS