Pulgas e carrapatos: as ameaças que eles trazem à saúde de cães e gatos e como evitar

FOTO DIVULGAÇÃO

Pulgas e carrapatos são um problema muito comum na vida de cães e gatos, principalmente em períodos mais quentes, em que a temperatura e umidade favorecem sua proliferação. Até mesmo aqueles pets que convivem pouco com outros animais estão suscetíveis a esses parasitas, que causam desde uma simples coceira até a transmissão de doenças infecciosas graves.

Pulgas e alergia
Animais de estimação podem se coçar esporadicamente, mas não o tempo todo. Se a coceira ocorre com frequência, o animal pode estar infestado por pulgas. Mesmo que o cão ou gato tenha estado em ambiente fechado a maior parte do tempo, as formas jovens destes parasitas (ovos e larvas) estão em todos os lugares e podem ser trazidas para dentro de nossas casas, seja no sapato ou em objetos. Já num passeio, mesmo que rápido, pulgas jovens, que acabaram de sair de seus casulos, podem pular no animal e começar uma infestação rapidamente. Isto porque, após a alimentação e acasalamento, as fêmeas das pulgas podem depositar até 50 ovos por dia no hospedeiro.

Esses ovos caem no ambiente onde o animal costuma passar a maior parte do tempo e, após maturação, liberam as larvas que se adaptam facilmente em locais como tapetes, caminhas e sofás. Após um período de alimentação, as larvas se protegem num casulo chamado de pupa até amadurecer numa pulga jovem. Quando sai do casulo, essa pulga jovem procura rapidamente os animais para se alimentar e se reproduzir, dando continuidade ao seu ciclo. Assim, quando se estuda as fases do ciclo da pulga, o que se observa no animal é apenas 5% do problema, que corresponde às pulgas adultas, enquanto os outros 95% (ovos, larvas e casulos) estão espalhados pelo ambiente, o que reforça a importância de cuidar também dos locais onde os pets ficam.

“Além da coceira e incômodo por conta da picada das pulgas ou carrapatos, os animais podem sofrer com doenças que colocam em risco sua saúde. A DAPE (Dermatite Alérgica à Picada de Ectoparasitas) é uma doença dermatológica alérgica muito comum em cães e gatos e deve sempre ser considerada como um agravante nos casos de infestações por estes parasitas. Além disso, as pulgas podem transmitir verminoses e bactérias, bem como provocar anemia em filhotes altamente parasitados”, explica Gabriela Rosa, médica-veterinária e gerente técnica de Animais de Companhia da Boehringer Ingelheim Saúde Animal.
 

Da REDAÇÃO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS