PSL faz convite de filiação ao vereador Jean Charles do MDB

Para aceitar o convite, o vereador Jean Charles teria colocado algumas condições ao partido (Foto: Cláudio Lahos)

A movimentação em torno do PSL (Partido Social Liberal) não acontece somente com o interesse de mais de um grupo em assumir seu controle. A atual diretoria vem trabalhando nos bastidores para compor um quadro sólido e tem ido atrás de alguns nomes fortes do cenário local. Ex-vereadores e políticos em exercício estão sendo convidados pela legenda para compor seu quadro e essas negociações estão deixando outros partidos ‘ouriçados’.

De acordo com informações, além do vereador Jean Dornelas, atualmente sem partido, o PSL teria feito um convite informal para o vereador coronel Jean Charles que hoje legisla sob as cores do MDB.

O convite teria sido feito há poucos meses e, segundo fontes, Jean disse que pensaria com carinho na possibilidade de trocar de partido. No entanto, há algumas coisas que precisam de definição para que Jean decida se fica no MDB ou se aceita ir para o PSL.

As fontes do DHoje não revelaram quais seriam as condições de Jean para aceitar o convite, mas garantiram que o coronel ainda não aceitou se filiar ao PSL porque “há conflitos ideológicos com pessoas que possivelmente podem se filiar e se candidatarem pelo PSL”.

As apurações do DHoje levaram a um entrave na conclusão imediata das negociações. O vereador Jean Charles teria receio de uma possível perseguição política por trocar o partido do prefeito Edinho Araújo (MDB) pelo partido do presidente Jair Bolsonaro.

Ainda sem data definida, a janela partidária – período em que os vereadores podem trocar de legenda sem correr o risco de perder seus cargos – seria a saída mais cômoda para garantir que o vereador não seja “punido” pelo partido e se mantenha com chances de reeleição em 2020.

O DHoje tentou conversar com o vereador para entender a situação e verificar até que ponto essa informação procede, mas ao longo do dia, segundo seu gabinete, Jean Charles esteve em reuniões e até o fechamento desta edição não retornou os contatos.

Paulo Bassan, presidente do PSL de Rio Preto, também foi procurado pela reportagem para falar a respeito do caso.

Segundo o líder do partido na cidade, as conversas existiram, o convite foi feito, mas o vereador Jean Charles não sinalizou se aceitaria o convite. “Conversamos sim, nos falamos já tem um tempo, mas nada foi definido”, finalizou Bassan.

Por Ygor Andrade