Proprietária de agência de viagens é denunciada por estelionato

Vítimas se reuniram para manifestação em frente à agência, no bairro Redentora

O sonho de passar uma semana em Punta Cana, na República Dominicana, tornou-se um verdadeiro transtorno. Na tarde de ontem (15/5) clientes de uma agência de viagens localizada no bairro Redentora, em Rio Preto, fizeram uma manifestação em frente ao local. O caso foi parar na delegacia e será investigado.

Ao menos 20 pessoas, entre elas, empresários e comerciantes da classe média rio-pretense registraram boletim de ocorrência por estelionato no 1º Distrito Policial. Eles alegam serem vítimas de um golpe aplicado pela dona da agência, uma jornalista de 30 anos. No total, em torno de 100 pessoas foram lesadas.

“Estamos reunindo as documentações dos clientes para serem enviadas ao Ministério Público para pedido indenizatório por direitos morais e materiais”, contou a advogada Jociani Schiavetto.

Segundo a advogada, a suspeita permaneceu no interior do local durante todo o ato das vítimas e não se posicionou para prestar esclarecimentos. “Ela fechou a porta em nossa cara”, afirmou.

De acordo com os cálculos da advogada, cada cliente desembolsou em torno de R$ 5 mil, totalizando cerca de R$ 500 mil para empresa. Segundo os depoimentos dos clientes, a viagem foi cancelada pela acusada, que também não teria pago o hotel de hospedagem. As vítimas alegam ainda que tiveram seus documentos falsificados e receberam e-mails falsos enviados pela suspeita.

Para o empresário Luiz Gabriel Faitaroni Ribeiro Auns, 32, o prejuízo foi grande. “Toda vez que eu perguntava alguma coisa sobre a viagem, localizador ou hospedagem, ela respondia que iria me enviar e nunca enviava. Desconfiei das atitudes dela e registrei o boletim de ocorrência. Parcelei a viagem em dez vezes no cartão, já paguei sete parcelas. Me sinto lesado e frustrado”, desabafou.

Uma dentista aposentada de 57 anos, que não quis ser identificada, investiu R$ 7 mil na viagem que faria com o marido, mas também levou prejuízo. “A gerente do meu banco está tentando ajudar, mas não promete conseguir o estorno do dinheiro. Parcelei a compra em dez vezes no cartão, ainda faltam duas parcelas para cair. Eu espero que essa moça não continue enganando pessoas de bem como ela está fazendo”, destacou.

Por telefone, a jornalista e proprietária da agência disse que a viagem foi cancelada por um agente de viagem e que deu a opção para os clientes remarcarem o passeio ou receberem o estorno integral do valor investido – o que, segundo ela, foi negado pelo grupo. Ela afirmou ainda que tudo foi comunicado por e-mail e que a agência está prestando esclarecimentos para todas as pessoas envolvidas.

Durante o fechamento desta reportagem, a acusada havia desativado o perfil pessoal no Facebook.

Por Karolina GRANCHI  

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS